Desde o último dia 17 de julho, um domingo, uma jovem de 18 anos desapareceu em Diadema/SP. Desde então, familiares, amigos e membros da igreja que frequentavam, a Congregação Cristã no Brasil, se mobilizaram nas redes sociais em uma espécie de campanha para divulgar a imagem de Raquel Ester Almeida Mendes, a fim de localizá-la. No entanto, até o momento, nenhuma pista relevante conseguiu solucionar o caso e encontrar a moça. A Polícia ainda segue investigando e tentando encontrar informações que possam conduzir à localização de Raquel.

Entenda o caso

Raquel, uma estudante de 18 anos, desapareceu no domingo, dia 17, na cidade de Diadema, na região do ABC Paulista.

Publicidade
Publicidade

Ainda pela manhã, a jovem saiu de casa acompanhada de seu noivo, rumo ao Terminal Diadema, para que ele seguisse viagem em retorno ao interior, onde reside. Munida unicamente do aparelho celular e do cartão de transporte coletivo, Raquel deixou o noivo no local e, após a saída do ônibus do noivo, segundo relatos, ela não mais foi vista. A jovem não estava em posse de nenhum documento de identidade, tampouco de sua bombinha para asma, a qual faz uso com frequência.

A família descarta a hipótese de fuga da menina, que estava com casamento marcado para outubro deste ano e aparentava estar animada e contente com os preparativos para o enlace matrimonial.

Ao entrar em contato, logo após a constatação do desaparecimento, a família foi surpreendida com mensagens de conteúdo estranhos ao comportamento habitual de Raquel, que os fazem desacreditar que realmente tenha sido a jovem que houvera digitado.

Publicidade

Em uma das mensagens, Raquel supostamente diz que não voltaria para casa, que estava bem, e que queria que a deixassem em paz. Desde então, as chamadas são encaminhadas diretamente à caixa postal e as mensagens não são mais entregues no aplicativo de comunicação WhatsApp. Tudo indica que o celular encontra-se desligado ou que o chip da operadora fora removido.

O mistério em torno do desaparecimento de Raquel intriga os familiares e amigos há treze dias. Qualquer informação que possa conduzir à localização da jovem deve ser remetida à Polícia e, em especial, ao 4º Distrito Policial de Diadema, onde o caso foi registrado e vem sido investigado. #Igreja #Casos de polícia