O candidato a vereador na cidade de São Paulo e também ex-senador do Brasil, Eduardo Suplicy (#PT) se envolveu em uma confusão nessa manhã de quinta-feira (25). O político estava no protesto feito por moradores da capital paulista. Com imagens onde mostram o petista sendo carregado pela Polícia Militar de São Paulo, o petista fez pronunciamento em rede social afirmando que a PM de #Geraldo Alckmin é “truculenta” e o que fizeram com ele e com as pessoas que estavam na manifestação dessa manhã é algo extremamente “inaceitável”.

“A truculência da Polícia Militar do governo Alckmin é inaceitável. Se fazem isso com um ex-senador da República, imagine o que sofre a população (...)”, publicou Suplicy em sua rede social. A detenção do petista aconteceu no protesto feito por populares contra uma reintegração de posse de um terreno da prefeitura no Jardim Raposo Tavares.

Publicidade
Publicidade

O terreno está localizado na zona oeste de São Paulo e tem 11 mil m². Os populares afirmam que o governo não garantiu que vai ressarcir as famílias que ali moravam, (algo em torno de 400 famílias).

Com relação ao que havia dito o prefeito Fernando Haddad (PT), essa é uma área que apresenta sérios riscos para quem estava morando nela. O petista explicou que o local poderia desabafar a qualquer momento e essa situação estava inviabilizando a possibilidade de construção de moradias populares. A Defesa Civil teria estudado essa situação e pensado em retirar do local somente alguns barracos, no entanto, ela concluiu que isso poderia colocar as tais famílias em riscos sérios, já que a estrutura do local apresenta fragilidade.

Representantes do grupo de famílias que estava no protesto afirmavam que a prefeitura não deu nenhum tipo de ajuda.

Publicidade

O protesto começou logo cedo, por volta das 5h da manhã. Sem a presença da política, os manifestantes obrigaram um cobrador e o motorista de um ônibus a colocaram o veículo no meio da pista, de modo a que a via pudesse ficar totalmente ocupada e nenhum outro veículo iria passar. Algumas horas depois, a Tropa de Choque chegou e retirou algumas famílias. #Casos de polícia