A jovem #Patrícia Lélis, que havia acusado Talma Bauer de sequestra-la com o objetivo de fazê-la gravar um #Vídeo desmentindo acusações de estupro e agressão, acabou se tornando alvo de uma investigação da polícia civil de São Paulo.

O delegado do caso, Luís Roberto Hellmeister, conseguiu arquivos com imagens de segurança do hotel, que mostram que Patrícia recebeu Talma Bauer no saguão dia 30 de julho, bem como estava conversando com o mesmo dia 4 de agosto, junto com um outro rapaz. Além disso, a polícia afirma que obteve imagens que provam que a moça esteve circulando pela região dias antes de fazer a denúncia, o que desmontou a sua tese de sequestro e cárcere.

Publicidade
Publicidade

Abaixo seguem as imagens de segurança que mostram que a moça não foi sequestrada, recebendo Talma no hotel, amigavelmente.

 

Patrícia pode ser presa por até oito anos

No momento, a polícia foca as investigações em saber se a estudante exigiu ou recebeu dinheiro para desmentir as acusações feitas na semana passada. Ainda que a polícia conclua que não houve pagamento ou recebimento de dinheiro para desmentir os fatos, Patrícia deve ser denunciada ao Ministério Público em uma ação pública por denunciação caluniosa, com pena de 2 a 8 anos de reclusão.

Além disso, a mesma responderá a um outro processo, movido pelo Partido Social Cristão (PSC) por difamação e também por denunciação caluniosa, neste caso, por envolver o nome do partido nas acusações, alegando que seus representantes sempre souberam do suposto crime e tentaram silenciá-la.

Publicidade

Talma Bauer e #Marco Feliciano também podem pleitear ação cível contra a moça pela exposição e calúnias atribuídas aos mesmos. Após se tornar investigada, nenhum meio de comunicação conseguiu contato com Patrícia ou com sua defesa. Ela estaria em Brasília, onde reside.

Repercussão dos nudes

Embora muitas pessoas tenham levantado a hipótese de que os prints divulgados sejam montagens, o site que os divulgou originariamente, Golpel Mais, informou que dia 28 de junho o próprio deputado Marco Feliciano havia publicado um print no Twitter, possivelmente por engano, enquanto pedia o telefone do Pânico no Rádio para debater com Gregorio Duvivier.

Veja o print enviado por Feliciano:

Aqui estão alguns dos prints vazados na internet, sendo que um deles é o mesmo enviado pelo deputado semanas antes das imagens serem divulgadas: