Mais um caso assustador, de difícil compreensão, aconteceu no Interior Paulista, na cidade de Ibirá. Na manha desta segunda-feira, dia 8 de agosto, uma jovem de 20 anos de idade, que estava grávida de sete meses e meio, deu entrada na Santa Casa de Ibira, com perfurações a faca na barriga, depois dela mesma dar várias facadas na própria barriga e matar o feto. Devido a gravidade dos ferimentos, a mulher foi transferida para o Hospital de Base (HB), em São José do Rio Preto, que fica a quarenta e dois quilômetros de distância de Ibirá.

De acordo com boletim de ocorrência, devido as perfurações no abdômen, a equipe de obstetrícia constatou a morte do bebê.

Publicidade
Publicidade

Ela esta internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) sem previsão de alta.

O boletim de ocorrência foi registrado como aborto provocado pela gestante, com ou sem seu consentimento. A policia irá abrir inquérito para averiguar os fatos.

Não se sabe ainda o real motivo que levou esta jovem, com apenas 20 anos de idade, a tomar uma atitude como essa de esfaquear a própria barriga e matar seu feto.

A policia esteve na casa onde ela mora, mas não encontrou ninguém e continua fechada. Até o momento, não se tem ainda nenhuma informação que explique o que teria motivado a atitude dessa jovem identificada como D.S.S. Não há relatos também de familiares da jovem.

Definição de Aborto

O aborto é o ato destinado a interromper uma gestação. O aborto pode ser espontâneo e ocorrer em qualquer momento da gravidez.  Mas pode também ser induzido por mulheres que desejam interromper a gestação.

Publicidade

No Brasil, o aborto é proibido por lei, caracterizado #Crime contra vida humana, sendo permitido apenas em casos em que a gravidez traga risco para a gestante, fruto de um estupro ou em casos de fetos anencefalia.

De acordo com artigos do Código Penal, no auto do aborto (art. 124) a pena será de retenção  1 a 3 anos; no aborto provocado por terceiro, sem consentimento (art. 125), a pena será de reclusão, de 3 a 10 anos; no aborto consensual (art. 126), a pena será de reclusão, de 1 a 4 anos. #Investigação Criminal #Casos de polícia