A população de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, está chocada com mais um #Crime bárbaro que aconteceu na cidade, antes conhecida nacionalmente pela sua beleza e pontos turísticos, além da grande variedade de bares e locais para diversão, mas que agora vem se destacando no cenário nacional pela crescente #Violência. Uma garota de apenas 19 anos foi sequestrada por três homens, que a levaram para um cativeiro e por dois dias seguidos ela foi vítima de estupro coletivo.

A jovem ficou sob o poder dos criminosos que iam se revezando na prática dos abusos e chegou a pensar que não sairia viva dali, até que aproveitou um momento em que eles se distraíram para conseguir fugir.

Publicidade
Publicidade

Em estado de choque, a mãe da vítima disse que chegou a receber um telefonema dos sequestradores pedindo um resgate no valor de R$ 10 mil e que se ela cumprisse com o trato, a garota seria solta. O dinheiro deveria ser levado na rodoviária de Ribeirão Preto no sábado, dia 27.

No boletim de ocorrência consta que a jovem foi sequestrada na terça-feira, dia 23, já no início da noite. Ela estava voltando do trabalho e ia para sua casa. Quando estava no bairro Ipiranga, na rua Javari, ela foi agarrada por trás pelos marginais, que a impediram de gritar e logo em seguida a arrastaram para um carro que estava próximo do local aguardando. Em seguida, eles seguiram direto para o cativeiro.

A vítima não conseguiu informar à polícia o modelo do carro usado no sequestro e também não soube descrever como eram os sequestradores, alegando que eles estavam usando capacete e até roupa de chuva, o que a impossibilitou de ver os rostos ou ao menos algum detalhe no corpo que pudesse chamar a atenção, como uma pinta ou tatuagem, que poderia ser uma pista para se chegar aos criminosos.

Publicidade

Chegando ao local onde seria mantida prisioneira, ela conta que ficou o tempo todo em um quarto escuro e amarrada, sendo abusada posteriormente pelos homens por diversas vezes.

Na quinta-feira (25), estando apenas um dos criminosos no local, ela observou que ele estava conversando no celular e se afastou um pouco para que ela não ouvisse. Foi aí que ela conseguiu se desamarrar e fugiu, passando por um buraco que tinha na parede e por onde entrava o pouco de luz natural. A garota conseguiu chegar a uma praça onde então pediu ajuda às pessoas que ali estavam. Ela ligou imediatamente para sua mãe e em seguida foi encaminhada a uma unidade básica de saúde, indo posteriormente para o Hospital das Clínicas, vindo a passar por diversos exames.

A princípio, a jovem não queria procurar a polícia para registrar o crime, mas foi aconselhada pelo namorado a fazer o registro do boletim de ocorrência. #Estupro