Na última terça-feira (30), movimentos contrários à efetivação do presidente interino Michel Temer na Presidência da República foram mais uma vez repreendidos pela Polícia Militar em São Paulo.

As manifestações tiveram início ainda pela manhã com o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), que fechou algumas das avenidas mais importantes e movimentadas da capital paulista. Na ação da Polícia contra o movimento três pessoas foram levadas para detenção sob acusação de depredar o patrimônio público.

À noite, repetindo programação da segunda-feira (29), vários manifestantes contrários ao impeachment se juntaram na Avenida Paulista, na altura do Masp.

Publicidade
Publicidade

Dessa vez, o grupo seguiu pela Rua Augusta até a Praça Roosevelt, onde terminaria a #Manifestação, mas optou por mudar o itinerário e seguir até a sede do jornal Folha de S.Paulo, localizado no Centro da cidade.

Segundo informações do El País Brasil, tudo transcorreu pacificamente até chegar às imediações do Largo do Arouche, onde pessoas com paus e pedras foram repreendidas pela Polícia dando início ao confronto. Os policiais atingiram o grupo com gás de pimenta e bomba de efeito moral e prenderam quatro pessoas.

A intenção dos movimentos, segundo os organizadores, é mostrar ao presidente interino Michel Temer que sua efetivação na Presidência deverá sofrer resistência nas ruas. Em contrapartida, também de acordo com representantes populares, é bastante provável que aumente a repressão a atos contrários ao possível novo governo.

Publicidade

#Impeachment