O #desaparecimento da jovem Keylla Moura, de 14 anos colocou em desespero a sua família desde o último sábado (17). A jovem, que é residente de Peruíbe, no Litoral de São Paulo, sumiu e os parentes estão buscando indícios de seu paradeiro. A garota viva com a avó no Bairro Guaraú, desde o último ano, e segundo a mãe, Kátia, que foi ouvida pela equipe de investigação, ela não tinha costume de sair de casa sem dizer para onde iria.

Na noite de sábado, a jovem foi a uma festa com a avó materna e, depois de retornar a casa, desapareceu. Segundo a genitora, ela teria avisado que gostaria de ir a um baile no bairro Caraguava, depois que as duas chegaram em casa, porém a avó, que é agora a sua tutora, não teria permitido.

Publicidade
Publicidade

Contrariando a ordem da matriarca, que acabou adormecendo, a garota teria ido, ainda assim.

De acordo com a suspeita dos familiares, ela estaria com o celular da idosa. Eles tentaram chamá-la, contudo o número cai somente na caixa postal. Todos estão extremamente assustados e ansiosos, e disseram não saber com quem a garota poderá estar ou o que realmente está acontecendo.

Foi registrado no departamento da Delegacia Sede de Peruíbe, que cuida de desaparecimentos, um boletim de ocorrência. Segundo a mãe, ela espera que, com os esforços da polícia, seja possível encontrar vestígios do paradeiro da adolescente. A estudante levava uma vida tranquila, e nunca teria se envolvido em confusões, e não parece ter havido motivos para fugir.

A mãe e a avó realizaram uma busca na casa dos parentes mais próximos, dos vizinhos, amigos e um suposto namorado de Keylla, porém nenhuma dessas pessoas havia contatado a jovem, ou visto ela desde o sumiço neste sábado.

Publicidade

A polícia, que agora investiga o caso, começou a realizar buscas para poder encontrar a jovem; as pistas mais contundentes virão provavelmente das pessoas mais próximas a ela que talvez tenham mantido algum tipo de contato.

A mãe da menina vive em Cubatão, também no estado de São Paulo, e disse ter tido dúvidas sobre a mudança da jovem para a casa da avó. Segundo ela, a estudante talvez não estivesse preparada para levar uma vida longe de casa, ainda que vivesse com a anciã. Segundo Kátia, que está desesperada, fará de tudo para encontrar a filha; para tanto, tem feito uma pequena campanha entre os amigos da cidade para que sejam feitos grupos de busca pela estudante.

De acordo com ela, a família nutre esperanças que pistas sejam encontradas através do celular que supostamente estava com a jovem. Se não forem encontradas provas através desse pequeno vestígio, a família restará novamente no escuro. A mãe, contudo, está esperançosa que mais cedo ou mais tarde novas pistas surjam. #Investigação Criminal #Casos de polícia