No dia 05/09/2016, comunicou-se que a Linha 6 – Laranja do Metrô de São Paulo terá seu prazo de conclusão adiado. O motivo, segundo informado, é que está havendo dificuldades na obtenção de financiamentos a serem liberados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

De todas as obras tocadas pelo Metrô, esta é a quinta linha que sofre algum tipo de suspensão, já que o cronograma acena com a previsão de entrega para 2021, não considerando o anúncio feito no início de setembro. Inicialmente, o prazo para entrega aos usuários paulistanos seria em 2018.

A Linha Laranja vem se juntar com, pelo menos, mais duas linhas, cujas obras estão a passos mais largos em seu andamento.

Publicidade
Publicidade

Na Linha Amarela, faltam concluir as obras de estações como a Oscar Freire e a Higienópolis-Mackenzie. A Linha Lilás está mais atrasada: o trecho que compreende a Av. Ibirapuera e sua interligação com as Linhas Verde e Azul estão a perder de vista.

Sendo assim, o paulistano é obrigado a se acostumar com interrupções e adiamentos das obras metroviárias. Coisa que está ficando frequente.

A Linha Laranja é uma construção feita nos moldes de uma parceria público-privada (PPP) e o consórcio responsável pela execução da obra é a Move São Paulo, cujos integrantes são a Odebrecht Transport, a UTC Engenharia, a Queiroz Galvão e o fundo Eco Realty. Pelo que se sabe do noticiário, três das empreiteiras listadas têm seus nomes relacionados com a Operação Lava Jato.

Sem o dinheiro a ser liberado pelo BNDES, não é possível continuar com a construção da Linha Laranja, mas o banco soltou uma nota dizendo que está com “o objetivo de encontrarem alternativas que permitam a viabilidade jurídica e financeira da continuidade das obras”.

Publicidade

Sem o “dindim”, é mais difícil seguir com a execução.

Com a obra abandonada, os moradores próximos temem conviver com alguns problemas que o ambiente urbano traz: insegurança, ocorrências de chuvas que podem acarretar surgimento de doenças, esconderijos para uso de drogas e gangues.

Carinhosamente batizada como a “Linha das Universidades”, uma vez que seu trajeto passa perto das instituições educacionais, a Linha 6 – Laranja fará a ligação da Vila Brasilândia à estação São Joaquim.  Para a população que mora em bairros como  Freguesia do Ó e Lapa, o metrô seria um grande facilitador de acesso ao transporte. Muitos usuários precisam de ônibus para chegar a alguma estação da Linha 1 – Azul ou Linha 3 – Vermelha.

O fluxo estimado de pessoas usando a Linha Laranja é de aproximadamente 600 mil usuários. Espera-se que tanto as empreiteiras quanto a Secretaria de Transportes cumpram o que afirmaram: não haverá mais atrasos nas obras. #Metrô #Polêmica #Governo