Sob o título artístico de “Cegos”, cerca de vinte atores independentes, se cobriram com lama, colocaram uma venda nos olhos e rasgaram a Constituição da República Federativa do Brasil. Segundo o pensamento dos manifestantes, a ideia era mostrar que existe uma “cegueira” e muita “sujeira” em fazer Dilma Rousseff sofrer o #Impeachment.

O grupo, que é de esquerda, engrossa o corro de que impeachment é um golpe. Dentre os enlameados que caminhavam pela Explanada na semana passada, estava um nome que tornou-se conhecido há quatro meses: Priscilla Toscano.

Relembre quem é Priscilla

Logo que mais de 300 deputados federais aprovaram a abertura do processo contra Dilma Rousseff, Priscilla e várias outras pessoas se dirigiram ao vão do MASP, localizado na Avenida Paulista, São Paulo, para protestarem contra a decisão.

Publicidade
Publicidade

A manifestação, entretanto, era bem distinta do que as tradicionais pró-impeachment, que possuíam cartazes, bandeiras e pessoas, em sua grande maioria, vestidas com trajes que remetiam a uma ou todas as cores da bandeira nacional.

O grupo de Priscilla imprimiu fotos dos principais nomes que votaram “sim” pelo impeachment de Dilma e “vomitaram” e “cuspiram” sobre elas. Já Priscilla foi ainda além do “protesto” realizado pelos colegas: ela também fez suas necessidades fisiológicas diante de câmeras. A foto do deputado que recebeu o “protesto” de Priscilla é de Jair Bolsonaro, provável candidato do PSC para a presidência da república em 2016.

Mesmo participando de outros protestos contra o impeachment, Priscilla decidiu ficar em silêncio e evitar alguns hábitos e lugares que visitava para não sofrer possíveis represálias.

Publicidade

Da mesma forma, alterou seu sobrenome nas redes sociais para poder se livrar das críticas. Tais críticas não partiram apenas de internautas que viram o seu vídeo e sua foto, mas de vários meios de comunicação, sobretudo de São Paulo, onde os fatos aconteceram, incluindo rádios, jornais, revistas e programas de TV.

Pouco mais de um mês após o ocorrido, Toscano, que trabalha ministrando orientação teatral na prefeitura de São Paulo, voltou a ser notícia, mas dessa vez, por introduzir a bandeira do Brasil nas partes intimas.

Relembre:

 

O protesto da “sujeira”

A moça que ganhou notoriedade após defecar na rua, manifestou sua opinião sobre a política nacional após a encenação de “Cegos”, performance em que é diretora junto com dois amigos. Para a imprensa e ainda coberta pela lama, Toscano declarou que os poderes do país e os grandes meios de comunicação são setores de “pessoas sujas”. Também afirmou que os políticos do país legitimaram um golpe e que estão imersos na sujeira. #Polêmica #Protestos no Brasil