Conhecer a história da própria cidade muda o olhar sobre onde vivemos. Essa é a visão de Bruno Leite de Carvalho, jornalista e assessor de comunicação da Associação Amigos do #patrimônio e Arquivo Histórico (#AAPAH).

Após os passeios da instituição nos 17 patrimônios históricos da cidade, os participantes guarulhenses relataram que desconheciam alguns lugares como o Mirante o Nhangussu, por exemplo.

“[Eles] desconhecem que houve extração de ouro em Guarulhos e também que houve um sanatório de leprosos para internar compulsoriamente os doentes. Muitos não sabiam que já existiu linha de trem em Guarulhos. As pessoas saem das atividades com outro olhar sobre a cidade; mudam suas críticas e veem pontos positivos também”, disse Carvalho, em entrevista por e-mail.

Publicidade
Publicidade

É exatamente esta a proposta dos projetos de iniciativa da AAPAH, que promovem a divulgação do patrimônio histórico de Guarulhos entre os cidadãos.

“A ideia é mostrar o patrimônio como forma de exercer a cidadania, aproximar as pessoas seja pelos artigos, vídeos e livros ou ir até esses locais. Quando as pessoas ocupam a cidade, elas se sentem participantes dela, ou seja, tomam a responsabilidade de cuidar, de lutar e cobrar mais dos governantes”, acrescentou o jornalista.

Engajada nas candidaturas dos prefeituráveis deste ano, a AAPAH elaborou um documento de compromisso de prioridades com o patrimônio cultural de Guarulhos e enviou aos dois candidatos que disputam o segundo turno, Guti (PSB) e Eli Corrêa Filho (DEM). O analista justificou o ato dizendo “que eles [os candidatos] selem este compromisso não apenas com a AAPAH, mas com a cidade como um todo”.

Publicidade

Para informar ainda mais os cidadãos do município, a entidade agora está fazendo vídeos para falar sobre os patrimônios históricos da cidade. Já são 48 vídeos e 55 inscritos no canal do YouTube.

O canal produz conteúdo com o objetivo de divulgar a história da cidade, seus personagens e a formação dos bairros, tudo com base numa pesquisa aprofundada, entrevistando especialistas e colhendo valiosas informações.

Segundo Anderson Gomes de Souza, analista de comunicação e associado da AAPAH, o programa “Lugares e Memórias”, é o principal produto do canal. “Tem vídeos de entrevista de história oral, palestras, resumos de cursos e campanhas para promover o patrimônio local”, explicou Souza, que também apresenta o programa. Ele adiantou que os próximos temas do canal serão a Casa da Candinha, José Maurício e industrialização.

Para se voluntariar na AAPAH, as pessoas precisam acreditar na causa. Os requisitos são o de respeitar o patrimônio cultural e querer discutir sua importância como forma de exercer a cidadania. Mais informações podem ser acessadas no site aapah.org.br. #Opinião