Uma menininha de apenas 11 meses teve uma parte do rosto queimada em uma #Creche. No dia 13 deste mês, a bebê estava na Casa da Criança de Santos, no litoral de São Paulo, quando foi ferida. Porém, ainda não há esclarecimentos sobre os motivos que levaram à #queimadura.

O que aconteceu

Thalita é mãe de #Valentina, a vítima do ferimento. Chegando à creche para buscar a sua filha na quinta-feira, dia 13 deste mês, Thalita perguntou às quatro professoras presentes sobre a queimadura e estas disseram que a menina havia sido empurrada por um colega de um brinquedo e havia batido a boca, causando o machucado.

Neste dia, as quatro professoras cuidavam de oito alunos.

Publicidade
Publicidade

Geralmente, são 18 crianças, mas a maioria havia faltado por conta do dia das crianças (que aconteceu no dia anterior, dia 12 de outubro).

Após a resposta das professoras, Thalita levou a bebê ao pronto-socorro municipal e lá os médicos constataram que a paciente tinha uma queimadura de 2º grau.

Logo, esta mãe procurou a direção da creche em busca de obter de esclarecimentos sobre o que realmente tinha ocorrido. Porém, ela não obteve respostas concretas já que as professoras, que foram contratadas poucos meses antes do ocorrido, ofereciam versões diferentes sobre o caso.

Thalita conta que no começo as professoras diziam que colocaram gelo no machucado causado pelo empurrão do colega, mas o médico responsável disse que aquela queimadura não foi causada por gelo. Então, elas mudaram a história e falaram que a menina dormia, quando acordou daquele jeito.

Publicidade

Logo depois, as professoras mudaram a versão, dizendo que uma picada causou o machucado.

O médico disse que a queimadura deve ter sido causada por algum alimento quente, aquecido a mais de 100ºC. 

Essa e outras mães já suspeitavam de maus tratos causados na creche. Valentina já chegou em casa com hematomas na cabeça e outras crianças também foram feridas durante as "aulas". Thalita conta ainda que sua filha mudou o comportamento há algumas semanas, deixando de ser uma criança risonha para tornar-se uma criança que chora facilmente. As professoras alegavam que Valentina estava muito mimada.

Após o ocorrido, as professoras foram demitidas. Porém, Thalita ainda tem medo de deixar a filha na creche e a menina está sob os cuidados do avô, enquanto a mãe busca vaga em outra instituição.

A diretoria pediu uma segunda chance, mas Thalita recusou. A diretoria também informou que oferecerá todo o suporte à família e que aguardará o retorno da justiça sobre o caso.