A ação dos bandidos foi filmada ao longo dessa semana em um dos viadutos mais movimentados da grande São Paulo. Uma gangue costuma cometer os crimes na região e tem como alvo, principalmente, pessoas falando ao celular. O local é o viaduto Santa Ifigênia que tem 103 anos de existência e dá acesso à Avenida 25 de Março, ao Mosteiro de São Bento, e ao comércio de eletro-eletrônicos, recebendo milhares de pedestres todos os dias.

Os ladrões se aproveitam do intenso fluxo de pessoas e cometem roubos em plena luz do dia. O grupo filmado, composto de sete pessoas, dentre eles, três idosos, persegue alvos fáceis, e conseguem levar os pertences de muita gente.

Publicidade
Publicidade

A tática usada por eles é a de empurrar a vítima enquanto outro ladrão pega o celular. Muitas vezes, as pessoas nem conseguem perceber quem foi o responsável pelo roubo, por se tratar de um grupo bastante grande. Em alguns momentos, os furtos não dão certo e os ladrões se disfarçam no meio do mar de gente, para isso, nem precisam correr. Além de celulares, guardados nos bolsos de trás da calça, ou de pessoas que estão fazendo alguma ligação, os bandidos também levam relógios, carteiras e tudo que tiver visível e fácil de carregar. Muitas vezes, alguns deles fingem até ajudar a vítima para que o roubo aconteça.

Dentre os ladrões, estão pessoas que já responderam na Justiça por crimes de roubo. Uma das mulheres identificadas no grupo é Kelly Cristiane dos Santos Araújo, que já cumpriu detenção de quatro anos e seis meses exatamente pelo #Crime de furto.

Publicidade

Outro identificado é um dos idosos que aparece nas filmagens, Luiz Carlos da Silva, que também já foi indiciado e condenado por roubo, mas absolvido pela Justiça.

Existem duas guaritas policiais, uma em cada entrada do viaduto, no entanto, os crimes continuam acontecendo, às dezenas, todos os dias. Não existem câmeras de segurança suficientes ao longo do percurso, e nem mesmo policiamento ostensivo.

Em alguns momentos do dia, policiais caminham a pé pelo trajeto, momento em que os ladrões saem, mas é só o monitoramento ir embora que eles voltam a cometer os crimes.

Segundo a PM que faz a fiscalização da região, só esse ano, mais de quatrocentas pessoas foram presas em flagrante suspeitas de terem cometido algum tipo de roubo. No entanto, esse número e nem o policiamento assustam os criminosos que continuam amedrontando as pessoas que passam por ali.

#Investigação Criminal