As políticas sociais desenvolvidas pela prefeitura e atualmente divididas em quatro pastas estão com os dias contados, após vitória do tucano João Doria, a partir do ano que vem elas serão apresentadas de uma nova forma, a qual consistirá numa fundição entre as secretarias de promoção da Igualdade Racial, #Política para as Mulheres e Direitos Humanos a Assistência Social, que passará a ser denominada "Assistência Social e Cidadania". Esta e outras reformas na sua administração entrarão em vigor a partir do início de seu mandato, possibilitando uma renovação, além da extinção de outras pastas: licenciamento, serviços e comunicação.

Segundo o prefeito eleito, haverá uma diminuição nestas pastas, de 27 para 22, além de trabalhar o seu governo com apenas 20 secretarias.

Publicidade
Publicidade

Segundo seus aliados a intenção de imediato não é extinguir secretarias, mais sim economizar recursos, ajudando os departamentos de controle e organização do #Governo para que o torne mais “ágil”. Definidos os possíveis cortes, agora a equipe coloca em pauta as melhores opções de fusão.

Por enquanto, em seus planos estão incluir apenas a união de serviços com infraestrutura urbana, licenciamentos com prefeituras regionais e #Comunicação com governo ou gestão. Na contramão, porém, deve ser criada a Secretaria Municipal de Inovação, que terá a missão de digitalizar a administração. Propõe ainda mudanças internas, devolvendo a elaboração e o controle do orçamento da secretaria da cidade à Secretaria de Gestão e Planejamento, que foi retirado na gestão atual.

Sobre as estratégias relacionadas às prefeituras regionais, as atuais subprefeituras, o prefeito eleito pretende “dividir as tarefas” , compromete-se com os partidos da aliança a dar mais liberdade àqueles que administram, incentivando a questão repasse de verbas e poder sobre as decisões inerentes às suas secretarias.

Publicidade

Tendo todo poder, os 32 escolhidos para essa composição do segundo escalão terão como definir e tocar obras de zeladoria e ainda deliberar pedidos de alvarás de obras ou funcionamentos

Porém, a lei orçamentária mostra que, do ponto de vista da economia, suas mudanças pretendidas não resolverão os problemas de finanças que serão encontrados na prefeitura. Juntas, as três secretarias sociais que serão extintas pelo novo governo custam aproximadamente R$ 95 milhões – verbas que não serão economizadas e sim apenas mudadas de lugar

Com essa decisão, o prefeito João Doria estaria economizando aos cofres públicos uma renda de R$ 246 milhões, equivalente a 0,45% do orçamento projetado, e em tempos de ajustes fiscal e queda na arrecadação, já é um ponto positivo em sua administração.