Até onde vai a capacidade do ser humano de praticar atrocidades? Notícia vinda da cidade de Pitangueiras, no interior de São Paulo, mostra que parece não haver limites para a barbárie humana. Segundo a Polícia Civil, uma mulher matou uma adolescente de 15 anos, grávida de oito meses, e retirou de dentro de seu útero o bebê que ela carregava. A vítima foi esfaqueada e seu corpo foi deixado dentro de um tambor, achado no quintal da casa da principal suspeita. O bebê também não resistiu. A suposta assassina fugiu, mas antes alegou ao marido que matou por legítima defesa, após ser agredida pela garota. O #Crime ocorreu no bairro Jardim Bela Vista, no fim da tarde de quarta-feira (12).

Publicidade
Publicidade

Conforme registrou o boletim de ocorrência, após matar a menina a facadas, a assassina abriu o abdômen da vítima usando a mesma faca e retirou o feto de seu ventre. Quem encontrou o corpo da adolescente, que estava dentro de um tambor de plástico, foi o marido da suspeita. Já o feto foi achado no banheiro da casa, perto de um saco de lixo. No interior do saco estava o útero da vítima.

De acordo com as autoridades policiais, os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Barretos. Não foi divulgado ainda a motivação do crime, registrado como homicídio e aborto provocado por terceiro.

A principal suspeita está foragida. Ela tem 25 anos e costurava enxovais de bebê. Conhecia a adolescente e esteve em sua casa pouco antes do crime, na tarde de quarta-feira (12).

Publicidade

Depois, a mulher convidou a vítima para ir até sua residência. O esposo da suspeita confirmou ter visto as duas entrando na casa, mas saiu na sequência para ir até um bar. Quando retornou, algumas horas depois, se deparou com a esposa lavando o quintal. Ainda assim não desconfiou de algo errado. Em depoimento, ele ainda relatou que entrou e saiu de novo do imóvel sem desconfiar de nada.

Algum tempo depois, ao voltar para o lar, encontrou a esposa em frente à residência, bastante alterada. Foi então que a mulher lhe disse que as duas brigaram e que a garota grávida teria partido para agressão, inclusive com arranhões. Em sua defesa, a mulher disse que não teve outra saída senão pegar uma faca e golpear a adolescente no abdômen. Depois de relatar essa versão ao esposo, a mulher fugiu. Só então ele entrou na casa e achou os corpos. Perplexo, acionou a Polícia Militar.

Investigadores e peritos foram até o local. Até o momento, as autoridades policiais ainda não têm pistas do paradeiro da principal suspeita, que está sendo procurada para dar sua versão na delegacia. Parentes da vítima prestaram depoimento nesta quinta-feira (13).

#Casos de polícia