No último sábado (29), uma mulher matou o ex-companheiro, de 52 anos, após o homem tentar ter relações sexuais à força com ela. O #Crime aconteceu em Piracicaba, São Paulo, e chocou os moradores da região. Como se não bastasse, os filhos do homem assassinado, sequestraram a jovem após saberem do homicídio do pai, e a mantiveram em cativeiro por vingança. A mulher é babá, e foi levada por dois rapazes identificados como filhos de seu ex-companheiro, eles têm 21 e 24 anos de idade. Os dois jovens teriam raptado a mulher e a levado para um cativeiro onde teriam amordaçado e amarrado a moça, ameaçando-a de morte sob tortura. De acordo com as investigações da polícia, a jovem seria colocada em ‘julgamento’ por um conjunto de homens que se auto-intitulavam como parte de um ‘tribunal do crime’ que seriam responsáveis pelo destino da mulher.

Publicidade
Publicidade

Por sorte, a babá conseguiu escapar pela janela do local onde era mantida presa e foi localizada pela Polícia Militar.

Os dois jovens responsáveis por raptar a jovem foram detidos pela polícia, em flagrante, na tarde de ontem, domingo (30). Os investigadores supõem que o segundo crime foi motivado por vingança ao pai morto. Tanto o homem assassinado como os filhos, supostamente, faziam parte do mundo do crime. A mulher deverá passar por exame de corpo de delito no IML para averiguar se realmente sofreu algum tipo de abuso. Na delegacia, ela confessou que matou o ex-companheiro, pois ele teria tentado estuprá-la de modo que agiu em legítima defesa. Já os filhos do homem, que também estão presos, disseram que a mulher teria matado o pai dos dois também por vingança. Ao que parece, o relacionamento era regado por muita agressão e brigas.

Publicidade

O caso será investigado pela divisão de homicídios, e tanto a babá quanto os jovens serão indiciados pelos crimes que cometeram. Até que se tenha clareza dos fatos ocorridos, eles permanecerão detidos. Os dois homens ficarão à disposição da Justiça e deverão responder pelo crime de sequestro e ameaça de morte. Enquanto o crime da mulher ainda deverá ser investigado para se ter clareza se realmente foi praticado em legítima defesa. #Investigação Criminal