O aposentado Pedro Florentino de Souza, de 78 anos, passou três noites numa detenção, sob acusação de esfaquear e matar sua esposa, Francisca André de Souza, de 76 anos. O casal tinha 58 anos de casamento. Segundo a polícia, o idoso era o maior suspeito, até que uma declaração reveladora mudou o rumo da história. O caso aconteceu em Brodowski/SP.

Segundo contou o Sr. Pedro, em entrevista ao site de notícias do G1, ele informou que sua esposa, como já era de costume, levantou-se muito cedo, pediu-lhe as roupas para lavar e saiu do quarto. Sr. Pedro conta que voltou a dormir novamente. E ao se levantar deparou com o corpo da esposa caído ao chão, ensanguentado.

Publicidade
Publicidade

Ela teria sido assassinada há poucos instantes.

O idoso informou que não ouviu de maneira nenhuma ela chamá-lo, afirmando também ter problemas com a sua audição. O senhor então, desesperado, ligou para os filhos e comunicou o que acabará de acontecer. Os filhos então ligaram para o resgate e para a polícia. Quando o socorro chegou à residência do casal, infelizmente a vítima já estava sem vida.

Quando a polícia chegou ao local do #Crime, verificou que havia marcas de chinelos, nas manchas de sangue no chão, afirmando que as marcas pareciam feitas pelos chinelos do idoso. As marcas das sandálias foram encontradas próximos ao corpo da vítima. As investigações apontaram o esposo como principal suspeito do crime.

O idoso, então, permaneceu preso por três dias numa detenção; não pode nem se despedir de sua esposa, pois não pôde comparecer ao sepultamento por estar detido.

Publicidade

O verdadeiro culpado é revelado

O sofrimento do Sr. Pedro só terminou quando a mãe de um adolescente, de 16 anos, contou que foi ele o responsável pelo crime. A mãe mesmo, chocada, se dirigiu até a delegacia e denunciou o filho.

Miriam Brasil, mãe do menor, se emocionou ao relatar que seu filho confidenciou a ela que teria matado a idosa, no intuito de roubar. Segundo ela, seu coração chegou a doer, diante da confissão do filho, que não demonstrou arrependimento algum de ter cometido o crime. Ela ainda afirmou “se ele fez ele tem que pagar”.

Pedro de Souza afirma estar ainda abalado com a morte de sua esposa, com quem viveu tantos anos de sua vida, e ainda de ser acusado de cometer esse crime bárbaro contra sua mulher. Ele contou que, na delegacia, o tempo todos eles faziam perguntas afirmativas, de como ele teria matado sua própria esposa.

De acordo com o filho do casal, Nivaldo Florentino de Souza, houve falhas nas investigações da polícia, pois eles se apegaram apenas a pegada no chão. Deveriam ter realizado buscas de novas pistas, como a impressão digital na gaveta onde o bandido pegou a faca.

Publicidade

Família poderá processar o estado

O advogado da família, Élizon de Souza Vieira, afirmou que irá processar o estado, pois a vítima foi presa injustamente, porque a polícia se antecipou demais para poder dar uma resposta à sociedade. Segundo Élizon, seu cliente foi duramente afetado pelo ato ilícito, pois como se não bastasse perder sua esposa, com quem foi casado por 58 anos, ficou impossibilitado de ir ao enterro dela e ainda foi apontado como suspeito do assassinato da mesma.

#Justiça #Casos de polícia