Neste sábado (22), na cidade de São José dos Campos, que fica situada no Vale do Paraíba (97 Km de São Paulo) uma #Tragédia ocorreu durante uma festa realizada por universitários. Segundo informações fornecidas pelos policiais que atenderam a ocorrência, Mariana Angélica Fidélis Damasceno, de 22 anos, foi morta com um único disparo na cabeça. Disparo esse desferido pelo próprio namorado, Wellington Aparecido Landim, 24 anos, soldado (há quase dois anos) da Polícia Militar de São Paulo que se suicidou logo após cometer o #Crime. A arma utilizada foi uma pistola ponto 40.

O crime ocorreu por volta das 19 horas do sábado. O local onde o crime foi cometido foi na Chácara São José, local alugado por universitários para fazer um churrasco de confraternização.

Publicidade
Publicidade

Mariana era universitária e estava matriculada na Universidade do Vale do Paraíba (Univap). Segundo informações do advogado Jamil José Saab, responsável em defender a organizadora do evento (empresa Atlas Imagem & Cia), Mariana era vítima de ameaças do namorado, inclusive, segundo versão do advogado, a estudante já havia registrado Boletins de Ocorrência sobre as ameaças.

Crime

O advogado explicou em detalhes o crime ocorrido no sábado. Segundo ele, o casal chegou junto à festa e, logo na portaria do evento, foram abordados por seguranças. Os seguranças advertiram Wellington para não entrar na festa armado.

“Nossa equipe de segurança solicitou ao policial que deixasse a arma no veículo, porém, ele foi ríspido e forçou a barra para entrar. Não houve possibilidade de impedi-lo”.

Investigação

O caso ainda será analisado e investigado, porém, o que se sabe, no momento, segundo relatos de testemunhas, é que o casal teve uma discussão muito breve antes do assassinato seguido de suicídio.

Publicidade

Segundo reportagem da Folha de São Paulo, o policial havia gravado um áudio e enviado a uma amiga da estudante com a seguinte ameaça.

“Se eu souber com quem ela ficou, vou dar uns tiros nela. Tô na neurose com essa menina”. A ameaça consta no Boletim de Ocorrência do caso.

Durante os disparos, provavelmente de forma acidental, um estagiário de 22 anos, foi atingido por cápsulas da pistola. Ele foi levado às pressas ao hospital e diagnosticado com ferimentos leves.

A Secretaria de Segurança Pública não se manifestou sobre a conduta do policial. #Casos de polícia