Cinco pessoas foram baleadas em dois locais diferentes, na tarde desta quinta-feira, 24, na Freguesia do Ó, zona norte da capital paulista. Uma delas não resistiu aos ferimentos e morreu. A distância entre os endereços é de dois quilômetros. De acordo com a PM, as vítimas foram feridas nas mesmas circunstâncias: dois suspeitos, que estavam em uma motocicleta, atiraram contra elas. Os casos foram registrados no 45º Distrito Policial, na Brasilândia.

Os crimes

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, o primeiro caso, em que quatro pessoas foram baleadas, aconteceu na avenida Humberto Gomes Maia, na altura do número 312.

Publicidade
Publicidade

Os policiais que atenderam a ocorrência disseram, na delegacia, que quando suas viaturas chegaram no local, as vítimas já haviam sido socorridas pelos moradores da região.

Logo em seguida, chegaram peritos, que identificaram uma marca de tiro em um veículo Mercedes, que estava estacionado na via. Manchas de sangue dentro e fora de um comércio de pipas também foram vistas. O proprietário do comércio não foi localizado. Os responsáveis pelo #Crime seriam uma dupla de suspeitos, que estava em uma moto Falcon, de cor vermelha: os atiradores teriam disparado sem dirigir qualquer palavra ao grupo.

O segundo caso, em que uma pessoa morreu, foi na rua José Carlos Monteiro, 251, a dois quilômetros de distância. A quinta pessoa foi alvejada por pelo menos dois tiros, disparados por um suspeito em uma motocicleta com as mesmas características da Falcon, vista no local do primeiro #Ataque.

Publicidade

As vítimas

Segundo testemunhas, a vítima que não resistiu aos ferimentos e morreu seria um adolescente; porém, as polícias Civil e Militar não confirmam sua identificação. O Instituto Médico Legal Central informou que ainda não recebeu o corpo.

As outras quatro pessoas baleadas são adultos, que foram socorridos por moradores da região. Três deles foram levados ao Hospital Penteado, e a quarta vítima foi encaminhada ao Hospital João Paulo. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles. Os autores do crime ainda não foram identificados. #Casos de polícia