O jornalista e chargista Fausto Bergocce, lança no próximo sábado (12), das 14h às 17h, o seu novo #livro “Sketchbook Cusion", no Memorial da América Latina, localizado na Barra Funda, região Oeste de São Paulo.

Com 63 anos de idade, Bergocce já lançou outros nove títulos em seus 42 anos de profissão. Segundo o autor, em entrevista por e-mail, o “Sketchbook” originou-se de trabalhos soltos (a maioria não publicados). O livro pode ser utilizado por iniciantes na arte de desenhar.

“[O livro] é uma maneira de pessoas principiantes nas artes terem um parâmetro de como os profissionais interagem com as imagens, idéias e mensagens.

Publicidade
Publicidade

Ele também serve para os fãs de arte curtir o trabalho de uma boa maneira”, explicou.

De acordo com o cartunista, a coletânea de desenhos reúne vários estilos e leituras. “São caricaturas, ilustrações, cartuns, etc. Tudo reunido em um álbum com 60 páginas, com o texto do perfil escrito pelo jornalista Assis Ângelo”, ressaltou o autor.

Fausto foi convidado pela Criativo Editora, através do editor Franco de Rosa, para realizar a obra junto com outros 30 autores. O preço da coletânea será de R$ 35. O autor já lançou os seguintes livros: “Sem Perder a Linha”, “Esqueçam o que ele desenhou!”, “Traço Extra”, “Viva Cartum”, “Candido Deodato – Aventuras e Desventuras de um Demagogo”, “A Nuvenzinha Exibida”,” Reginópolis – Sua História”,” Uns e Outros- Cartuns Soltos” e “Carlotinha e a galerinha da Vila do Sorriso”.

Publicidade

Nascido no dia 18 de novembro, em Reginópolis, cidade do interior do estado, ele chegou em Guarulhos no ano de 1966, com apenas 14 anos. Seu primeiro desenho publicado foi no extinto “Diário de Guarulhos”, em 1972. Na época, ele se define como um “faz tudo da redação”.

“Eu era um faz tudo na redação... desde os serviços de office-boy, revisor e auxiliar da chefia”, contou. Em 2 de janeiro de 1974, entrou para o jornal extinto “Guaru-News” onde começou profissionalmente como ilustrador da coluna “Fatos e Bastidores”, do jornalista Hermano Henning. “Por conta disso, me tornei o pioneiro da caricatura, na imprensa guarulhense”, disse.

O cartunista Henrique de Sousa Filho, o Henfil, é o seu ídolo no inicio de carreira. O chargista também teve outras inspirações, como o escritor Ziraldo. “Desde criança, já lia seu personagem Saci Pererê, através das histórias em quadrinhos”.

Fausto já passou por veículos como “Metrô-News”, “Última Hora”, “Folha de S. Paulo”, “O Estado de S. Paulo”,” Diário do Grande ABC”, “Diário Popular”, “Diário de S.

Publicidade

Paulo”, “TV Cultura”, “Editora Três”, “Obóre” e “Diário de Guarulhos”.

Ele relembrou seus trabalhos mais memoráveis. “O apelido Martaxa, para a então prefeita de São Paulo, através de uma #charge publicada no “Diário de S. Paulo”, em 2002. Outra ilustração que ele recordou foi o apelido Pitanic (que acabou virando popular), numa charge para o “Diário Popular”. “Esse apelido ocorreu por conta do desastre da administração do então prefeito Celso Pita”, explicou.

Atualmente, Fausto Bergocce é cartunista free e cuida de outros projetos como exposições, edições de livros e pintura. Ele confessa que ama o seu trabalho e não pretende para tão cedo. “Estou aposentado, mas não consigo deixar meu trabalho. Hoje faço o meu oficio de uma outra maneira”, complementou.

  #faustobergocce