Na noite da última quinta-feira (10), um guarda civil metropolitano de Santo André foi preso pela polícia na Grande São Paulo, sendo o principal suspeito da execução de cinco jovens em 21 de outubro deste ano. Segundo relatou à polícia, ele teria sido o responsável por atrair os garotos até o local onde eles foram mortos. Para conseguir isso teria criado diversas contas falsas em uma rede social por onde trocava mensagem com os adolescentes.

Ele teria se passado por mulheres para atrair os meninos para uma suposta festa. O homem deu depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e negou ter tido envolvimento com a execução em si.

Publicidade
Publicidade

Segundo ele, não teria matado nenhum dos jovens. A justiça decretou a prisão temporária dele e espera que através dos depoimentos consiga chegar a outros dois guardas municipais que estariam envolvidos no #Crime.

Três dos jovens já haviam sido identificados pelos peritos e reconhecidos pelos familiares, contudo os corpos ainda continuam no Instituto Médico Legal (IML) para investigações. Um deles foi, essa semana, identificado pela arcada dentária como sendo Jonatan Moreira.

Ele teria ido com outros quatro jovens a uma festa no dia 21 de outubro, quando sumiu no bairro Jardim Rodolfo Pirani, Zona Leste da capital paulista. Antes de desaparecer, ele enviou uma mensagem para uma amiga dizendo que os cinco estavam sendo abordados e corriam risco. Os corpos foram encontrados no dia 6 de novembro, na área rural de Mogi.

Publicidade

Um último cadáver ainda precisa ser identificado pelos peritos, mas deve-se confirmar que é de Jones Ferreira Januário, que dirigia o carro em que os adolescentes estavam quando sumiram.

A polícia que investiga o caso aguarda o laudo da perícia, que deve estar pronto em no máximo trinta dias. A partir dele será possível saber a causa das mortes, o dia em que aconteceram e os horários aproximados. Segundo consta nas investigações, quatro deles teriam sido mortos a tiros com disparos de armas calibre 38 e 12. Os corpos devem ser liberados para sepultamento esta sexta-feira (11).

O quinto corpo encontrado era do cadeirante Robson Fernando Donato de Paulo que morreu a facadas. Quatro dos jovens possuíam ficha criminal e se envolveram com o tráfico de drogas. A primeira linha de investigação era a de que a chacina teria sido motivada por um acerto de contas. Contudo, depois da prisão do guarda municipal, a polícia pensa na possibilidade de retaliação pela morte de um outro guarda municipal em setembro deste ano.

#Casos de polícia