O Centro Municipal de Zoonoses de Avaré, no interior de São Paulo, foi inaugurado há pouco mais de um ano. Porém, o objetivo do espaço, que é abrigar #Animais abandonados, promovendo sua recuperação e adoção, não vem sendo alcançado. De acordo com uma ativista pelos direitos animais, Gislaine Soares Pereira, o CZ não recebe verba da Prefeitura há seis meses.

Gi, como é conhecida na cidade, denunciou a situação em sua página no Facebook, onde revelou que o espaço abriga hoje “aproximadamente 220 cachorros e 70 gatos, onde o município tem toda a responsabilidade de repassar a verba para suprir as necessidades (alimentação, veterinário, laboratório, material de consumo, funcionários)”.

Publicidade
Publicidade

Ela ainda revelou que também é de responsabilidade do município realizar a “a manutenção do local para que os cachorros sejam amparados e não atrapalhe os vizinhos (não existe lugar apropriado para os gatos), manutenção da parte hidráulica, manutenção da bomba de água (para que não falte água para os animais), manutenção da parte elétrica, materiais adequados para o centro cirúrgico, área de lazer para os cachorros ter o banho de sol”. Porém, como os repasses não vem sendo feitos, Gi afirma que “voluntários nos ajudaram a manter com o mínimo para o trabalho continuar (alimentação e funcionários).

Atualmente, o Centro de Zoonozes de Avaré é administrado pela Associação de Proteção aos Animais Amor de Quatro Patas. Um convênio foi firmando entre a entidade e o município em meados de 2015, no qual ficou determinado que Prefeitura faria os repasses e caberia à Associação gerir os cuidados aos cães e gatos.

Publicidade

Dados oficiais

No site do Portal da Transparência do Município de Avaré é possível verificar que o convênio feito, na categoria subvenção-concessão, foi assinado em 8 de maio de 2015, com validade até 31 de dezembro de 2016 no valor de R$ 191,4 mil/ano. Ainda, de acordo com os dados encontrados, foi possível verificar um aditamento ao convênio no valor de R$ 127,6 mil.

No entanto, no Portal da Transparência não há informações sobre o quanto já foi repassado à entidade, nem as datas dos repasses. De acordo com informações, os repasses mensais deveriam ser de aproximadamente R$ 16 mil. Valor que seria investido na alimentação, aluguel do espaço, gastos veterinários e pagamento de funcionários.

Sem dinheiro para a ração dos animais

Ainda de acordo com a denúncia, a administração do Centro de Zoonoses não tem verba nem para comprar ração para os animais. “Estamos em uma situação de desespero e não temos como pagar as contas atrasadas e suprir as necessidades atuais”.

Gi Soares também pede ajuda da comunidade, para que seja possível manter o mínimo de estrutura para os animais.

Publicidade

É possível levar doações até o local. O Centro de Zoonoses de Avaré fica na Estrada dos Três Coqueiros, S/N. Também é possível doar qualquer soma em dinheiro pelo site Amordequatropatas-avare.org. Além dos animais que vivem no CZ de Avaré, a entidade tem sob sua responsabilidade outros 50 cães e 30 gatos, os quais mantêm com ajuda de voluntários e colaboradores.

#Avaré #Crise