No primeiro dia do julgamento de Elize Matsunaga, acusada de matar e esquartejar o ex-marido Marcos Kitano Matsunaga em 19 de maio de 2012, três testemunhas de acusação foram ouvidas:Amonir Hercília dos Santos - ex funcionária esporádica da família; Mauriceia José Gonçalves dos Santos - ex-babá; e Wiliam Coelho de Oliveira - detetive contratado pela mulher para investigar supostas traições de Marcos #matsunaga. O #julgamento, que começou por volta das 11h16 e terminou às 19h13 contou com momentos tensos. O primeiro deles foi quando a testemunha Mauriceia Gonçalves dos Santos precisou ser retirada do plenário por estar muito nervosa e passar mal. Outro momento tenso ocorreu quando promotoria e defesa discutiram sobre estratégias de questionamentos e irritaram o juiz a ponto de fazê-lo interromper o pleito por dez minutos.

Publicidade
Publicidade

Depoimentos

A primeira testemunha, Amonir Hercília dos Santos, era funcionária folguista e respondeu por mais de uma hora as perguntas da promotoria e dos advogados de defesa. Durante esse depoimento, Elize chorou por quatro vezes. O momento em que ela ficou mais emotiva foi quando Amonir respondeu positivamente à defesa se Elize era carinhosa com a filha.

Na parte da tarde, a ex-babá Mauriceia José Gonçalves dos Santos foi ouvida e respondeu várias perguntas tanto da acusação, quanto da defesa, sobre a compra de uma serra elétrica que Elize teria adquirido durante uma viagem ao Paraná. Mauriceia pediu ao juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5ª Vara do Júri da Capital, para que Elize não acompanhasse seu depoimento por ter medo da mulher, uma vez que ela mencionaria a compra do equipamento.

Publicidade

O último depoimento do dia foi do detetive particular Wiliam Coelho de Oliveira. O detetive explicou que foi contratado, pois Elize desconfiava que estava sendo traída. Elize teria uma lista com três possíveis amantes, mas no final era uma quarta mulher a escolhida pelo ex-empresário. Ele contou que recebeu aproximadamente nove mil reais pelo serviço. Durante suas respostas, Wiliam chegou a dizer que Elize programou a viagem ao Paraná exatamente para que o ex-empresário ficasse à vontade e fosse flagrado com outra mulher em São Paulo. A investigação particular durou três dias até que todas as provas de traição de Marcos fossem compiladas.

O detetive contou também que manteve contato telefônico com Elize quando flagrou Marcos com uma mulher alta, magra e de óculos. Elize teria insistido para que o rosto da amante fosse filmada.

Quando o detetive encontrou Elize pessoalmente, contou que ela chorou muito por ter a certeza de que foi traída. O depoimento do detetive terminou quando ele disse que não acreditava que essa história terminaria assim.

Publicidade

Nesse momento, Elize chorou pela última vez. Momentos depois, o juiz encerrou o interrogatório.

O crime

Marcos Kitano Matsunaga, de 42 anos, foi considerado desaparecido em 20 de maio de 2012. Partes do corpo foram encontradas em Cotia, na Grande São Paulo, no dia 27 do mesmo mês. Inquérito policial indica que marcos levou um tiro na têmpora e depois foi esquartejado. Elize Matsunaga, então com 38 anos, é a principal suspeita. Ela teve a prisão temporária decretada pela Justiça no dia 4 de junho de 2012.