No dia 9, servidores municipais de Avaré, no interior de São Paulo, entraram em greve, que deve perdurar por tempo indeterminado, foi marcado por uma passeata que reuniu ao menos 662 trabalhadores (de acordo com a Polícia Militar, foram 400).

A medida foi decidida em assembleia e um dos objetivos é pressionar a Prefeitura a realizar os pagamentos sem atraso, fato que vem ocorrendo desde agosto. De acordo com a Lei Municipal nº 125, de 1997, os trabalhadores deveriam receber todo o quinto dia útil, porém em agosto o salário só caiu no dia 17; em setembro no dia 19 e, em outubro os vencimentos foram pagos apenas no dia 20.

Publicidade
Publicidade

No dia 21 do mês passado o Sindicato dos Servidores e Trabalhadores Municipais de Avaré realizou uma assembleia que contou com a participação de mais de 480 trabalhadores. Na ocasião ficou decidido que se a Prefeitura não realizasse os pagamentos na data prevista pela lei, ou seja, no dia 8 de novembro, no dia seguinte a #Greve geral seria deflagrada.

De acordo com informações colhidas junto aos servidores, estão em greve praticamente todos os setores municipais, como Serviços, Saúde, Guarda Municipal, Administração e Educação, sendo que este último é o setor com o maior número de trabalhadores que aderiram ao movimento.

Além da pressão para que os salários sejam pagos em dia, os trabalhadores também desejam que a Prefeitura honre um acordo firmado em julho deste ano, quando o prefeito Poio Novaes assumiu o compromisso de mandar ao Legislativo Municipal um projeto de lei que garantia o reajuste salarial de quase 5% aos trabalhadores, já que o município deixou de fazer o reajuste inflacionário no primeiro semestre.

Publicidade

Nota da Prefeitura de Avaré

A Prefeitura soltou uma nota onde afirma que a crise financeira brasileira e as dívidas deixadas por gestões anteriores a de Poio Novaes impedem que os salários dos trabalhadores sejam pagos na data correta.

O documento afirma que mesmo a greve sendo um direito dos trabalhadores, a Prefeitura não pode cumprir todas as exigências “entre elas o pagamento em dia dos salários”. Poio Novaes creditou a impossibilidade de pagar os servidores em dia a “dívida de precatórios e previdência, contraídas em governos anteriores".

Salários escalonados

O texto ainda traz uma informação importante para os servidores: os salários deste mês serão pagos de forma escalonada. De acordo com a nota, parte dos trabalhadores devem receber na sexta-feira, 11 de novembro. Uma outra parcela de servidores terão seus vencimentos creditados em conta apenas após o dia 20.

Já o pagamento do vale-alimentação, benefício de aproximadamente R$ 152 e que no momento se encontra há dois meses atrasado, será efetuado na próxima semana.

Publicidade

Porém o texto não precisa o dia do depósito ou explica se serão pagos os dois vales ou apenas um deles.

Projeto de reajuste salarial não está pronto

Referente ao reajuste salarial, o texto traz a seguinte informação: “o projeto está quase pronto e será enviado à Câmara Municipal”. Mais uma vez sem mais detalhes, como o que falta para que o projeto seja concluído e qual a data do envio. Vale destacar que em breve o Legislativo entrará em recesso, portanto, o município tem até 31 de novembro para enviar o documento para que o mesmo seja aprovado ainda este ano. #Avaré #Política