A noite de Natal foi marcada por muita dor para uma família que vive em São Paulo. Luis Carlos Ruas, de 54 anos, foi espancado até a morte dentro da estação do metrô Dom Pedro II, na região central da capital.

O #Crime começou quando os dois homens decidiram urinar nas flores do jardim externo da estação e um morador de rua pediu para que eles não urinassem ali, pois havia banheiro dentro da estação. Os dois homens começaram a agredir o morador de rua, que, segundo testemunhas, era um travesti, e Luis, que sempre foi muito pacificador, tentou ajudar o andarilho.

Os criminosos não gostaram da interferência do vendedor e começaram a agredi-lo.

Publicidade
Publicidade

Ele tentou correr, mas foi derrubado dentro da estação do Metrô, em frente à bilheteria, batendo a cabeça no chão. Caído no chão, foi espancado com chutes e socos, até ficar inconsciente. Os homens foram embora e segundos depois voltaram para ter certeza que Luis estava morto. Um deles chuta a cabeça da vítima e quase agride um usuário do Metrô que estava nas proximidades do ato criminoso.

O ambulante foi socorrido pelos funcionários do Metrô, mas já no hospital, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. O delegado Oswaldo Nico Gonçalves, responsável por investigar o caso, informou que estão identificando os criminosos. Segundo testemunhas, um deles será fácil de identificar, pois é careca e possui uma tatuagem na cabeça. As imagens de segurança do Metrô mostram um dos homens com algo na mão, o que parece ser um soco inglês.

Publicidade

A polícia não descarta a hipótese da dupla integrar algum grupo de intolerância. Há quem diga que eles podem ser de algum movimento Skinhead ou similar, devido ao estilo de ambos. Eles usavam roupas iguais: bermuda branca e camiseta preta. O caso foi registrado como homicídio qualificado.

A vítima era paranaense, mas já vivia em São Paulo há mais de quarenta anos. Ele trabalhava como vendedor ambulante na região, há vinte anos. Índio, como era conhecido entre os populares da região, era uma pessoa calma e querida por todos.

Assista à reportagem, que conta com as imagens do crime, feitas pelas imagens de segurança da estação:

#Violência #É Manchete!