A criatividade pode driblar a crise no bolso quando o assunto é o que fazer com as crianças nas férias. Confira algumas dicas:

Um dia inteiro ao ar livre

Que tal combinar um piquenique com os amigos da escola que também não viajaram? Há #parques que oferecem até quiosques com churrasqueira, redes para descanso e cujas exuberantes áreas verdes fazem esquecer que se está em uma grande metrópole. É o caso do Parque do Carmo (Avenida Afonso Sampaio Souza, 951, Itaquera), originalmente uma antiga fazenda do século XIX. Com seus lindos lagos e bosques de cerejeiras, conta com playgrounds, bicicletário e pistas para caminhada. Com sorte, as #crianças podem esbarrar com algum caxinguelê, roedor da família dos esquilos que se aproxima em busca de alimentos e adora escalar as pessoas.

Publicidade
Publicidade

Dentro do Parque está também o Museu do Meio Ambiente e o Planetário.

Outra opção é passar um dia inteiro no Parque Ecológico do Tietê (Rua Guirá Acangatara, 70, Engenheiro Goulart), onde é possível passear de pedalinho de cisne e trenzinho, além de jogar futebol e até xadrez. O lugar, que ocupa uma área de 14 milhões de metros quadrados, equivalente a dez parques do Ibirapuera, é um convite irresistível a trilhas e caminhadas. Uma das principais trilhas leva à Ilha dos Macacos, onde macacos-prego ficam soltos em volta da pequena área do lago.

Se a intenção é relaxar com a vista e os sons da natureza, o Parque Burle Marx (Avenida Dona Helena Pereira de Moraes, 200, Parque do Morumbi) é o lugar ideal. Lá, as crianças correm pelo extenso gramado plano ou brincam nos recém-inaugurados parklets de pula-pula com pneus reciclados, enquanto os pais relaxam e desfrutam de seus livros em toalhas estendidas por toda parte.

Publicidade

Um passeio pelas trilhas leva a um deslumbrante lago em torno de um vale aberto, onde é possível observar tartarugas, peixes, patos, cisnes e os saguis de tufo branco que interagem com os visitantes. Um refúgio de pura contemplação, onde não é permitida a entrada de pets e bicicletas.

Ler e imaginar

Algumas bibliotecas públicas oferecem atividades culturais próprias para os pequenos, como cursos, oficinas, contação de histórias e saraus musicais. Com personagens como a Cuca e o Visconde de Sabugosa logo à entrada, a mais antiga biblioteca infantil brasileira, a Monteiro Lobato (Rua General Jardim, 485, Vila Buarque), conta com um dos mais importantes acervos especializados do gênero.

Já a Biblioteca Hans Christian Andersen (Avenida Celso Garcia 4142, Tatuapé) leva a uma verdadeira viagem ao mundo dos contos de fadas. A decoração é uma graça, lembra castelos encantados da infância, sereias, anjos e bailarinas. Há desenhos gigantes inspirados nas mais famosas histórias de Andersen, autor de o Patinho Feio e um dos maiores escritores infantis de todos os tempos.

Publicidade

Com área de quatro mil metros quadrados, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001, Alto de Pinheiros) acaba de completar dois anos e oferece um acervo muito bem organizado e atual de livros, revistas e jornais. Exibindo uma arquitetura arrojada que mistura concreto, aço e vidro transparente, tem varandas cercadas por espelhos d’água e um grande salão circular que oferece esteiras para que os visitantes possam deitar-se à vontade com seus livros preferidos à mão. Enquanto as crianças se distraem com a leitura de obras especialmente selecionadas para cada faixa etária, os adultos têm acesso até mesmo aos livros mais cobiçados como os últimos lançamentos de Jojo Moyes e J K Rowling.

Há também ensolaradas salas de estudo, jogos e acesso à internet. No espaço de games, a criançada tem direito a escolher, durante meia-hora, entre variados temas de Xbox.

#Teatro acessível

O teatro infantil está sempre em alta durante as férias. Histórias clássicas como Chapeuzinho Vermelho e Saltimbancos são sempre revisitadas. Não faltam opções nos teatros mais tradicionais e shoppings-centers. Sites como www.sampaingressos.com.br e www.clubinhodeofertas.com.br vendem ingressos com até 75% de desconto.