A #Violência nas cidades que formam o ABCD Paulista têm assustado moradores e pessoas que passam ou trabalham na região.

Nesta terça-feira (27), uma moradora foi assaltada em Diadema. Grávida de seis meses, Nathália Thailer levava a mãe, a filha e um sobrinho para a casa de uma tia no bairro do Campanário.

O assalto aconteceu depois que seus familiares já haviam descido do carro e entrado na casa de sua tia. “Eu desci para pegar as bolsas quando o bandido me abordou”, explicou Nathália à reportagem do Blasting News.

Ela foi abordada por um bandido, mas havia outro em um carro Renault Clio na rua de baixo. O carro da gestante é um HB20 de placa FSN 8815, comprado no dia anterior e ainda sem seguro.

Publicidade
Publicidade

O roubo aconteceu por volta das 13h30.

Boletim de ocorrência

Diante de casos como este, duas atitudes são importantes: a primeira é não reagir. A segunda, ir a uma delegacia registrar o boletim de ocorrência. Grávida de seis meses, Nathália passou mal após o ocorrido e nem conseguiu ir à delegacia. “Liguei para o 190 e meu marido vai abrir o boletim de ocorrência”, disse.

Redes sociais

As redes sociais, em especial o Facebook, têm sido um lugar bastante usado para divulgar casos de roubos. Nathália Thailer postou a história em sua página pessoal e em páginas de moradores de #Diadema.

Até o momento, a publicação feita em seu perfil pessoal foi compartilhada por mais de 60 pessoas em apenas uma hora no ar.

Violência no ABCD

As reclamações de roubos na região do ABC têm sido frequentes. Neste ano, até o mês de novembro, houve aumento de 6% e 15% nos roubos e nos furtos na região, respectivamente.

Publicidade

Nos 11 primeiros meses de 2016, 10.560 registros de roubos foram feitos no ABCD. No ano passado, 9.970 casos foram registrados no mesmo período. O roubo se configura quando o criminoso armado aborda o motorista.

O furto, outra modalidade que subiu de 8.014 casos nos 11 primeiros meses de 2015 para 9.244 nos 11 primeiros de 2016, é configurado quando o motorista estaciona o carro e, quando volta ao local, não o encontra mais. #Casos de polícia