Várias cidades de São Paulo já planejam os aumentos para 2017 e três municípios já confirmaram o aumento no valor das passagens de ônibus, são elas: Osasco, Guarulhos e Francisco Morato.

A partir desta quinta-feira (29) em Guarulhos, terá um reajuste de 18,4% e o novo preço já foi até publicado no Diário Oficial da cidade. A passagem de R$ 3,80 vai para R$ 4,50. O prefeito da cidade, Sebastião Almeida do PT, autorizou o reajuste e estará passando o cargo para seu sucessor, Guti do PSB, já neste domingo, dia 1º de janeiro.

Guti informou que uma das primeiras providências que irá tomar, ao assumir o cargo, é se reunir com o secretário de Transportes e verificar os contratos realizados com as empresas, para ver o que pode ser feito para aliviar um pouco para a população.

Publicidade
Publicidade

Em Osasco, o usuário deixa de pagar R$ 3,80 e passa a arcar com o valor de R$ 4,20 já nesta sexta-feira, dia 30. O reajuste chegou a 10,5% e o prefeito da cidade, Jorge Lapas do PDT, já assinou o decreto que foi publicado no Diário Oficial na última quarta-feira (28).

Francisco Morato também aumentou o preço da passagem de ônibus, que de R$ 3,70 vai para R$ 4,10 também a partir desta sexta-feira (30), sendo que o reajuste foi de 11%¨.

Até o PT, que é o partido do atual prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida, informou que não concorda com o aumento e já está questionando a medida. O Partido dos Trabalhadores informou ainda que esse reajuste não condiz com a vontade do partido no município e que foi um "gesto unilateral do prefeito". Ainda de acordo com o PT, o aumento no valor da passagem de ônibus é repudiado pelo partido, já que o país atravessa um momento econômico difícil; os parlamentares do partido irão entrar na Justiça com uma ação para tentar impedir esse aumento.

Publicidade

Para muitos, já está quase compensando usar o Uber do que os ônibus lotados, que agora cobram um novo valor. Nas redes sociais, são muitos os usuários criticando os aumentos, mas, pelo visto, não vai ter volta e os novos valores é que irão vigorar já a partir de janeiro. Certamente, 2017 não começará feliz para quem depende de ônibus.

#Economia #Crise #Inflação