Ainda resta dez dias para o fim de um dos anos mais turbulentos da história politica do Brasil. No entanto, os políticos ainda acham tempo para tomar medidas que revoltam toda a população. Desta vez foram os vereadores de São Paulo, que por 30 votos a 11 se deram um grande presente de Natal, aumentando os próprios salários em 26,3%, a partir de 2017. Não foram precisos mais que cinco minutos para aprovar o projeto. Para se ter uma ideia, a #Inflação acumulada nos últimos 12 meses não chega a 7% e o reajuste do salário mínimo, em vigor a partir de 1º de janeiro, será de em torno de 7,5%. Com a nova medida, o salário dos vereadores paulistanos passará dos atuais 15.031,76 para R$ 18.991,68.

Publicidade
Publicidade

Além do salário, cada vereador paulistano tem direito a contratar até 20 servidores, o que gera um custo mensal de 140 mil reais, com cada funcionário podendo receber no máximo R$ 24.100 como teto, que é o salário do prefeito. Além disso, há 20 mil reais de verba de gabinete para cada legislador. Esses valores, no entanto, não sofreram reajustes.

O prefeito eleito #João Dória (DEM) ainda nem assinou sua posse, mas já enfrenta os primeiros problemas, uma vez que o ato de aumentar os salários foi considerado uma desobediência da base aliada. O projeto foi proposto por Milton Leite (DEM), Adolfo Quintas (PSD) e Adilson Amadeu (PTB). A medida não precisou passar por aprovação do prefeito, uma vez que o aumento apenas para a Câmara é automático. Após tomarem posse em 1º de janeiro, os vereadores entrarão em recesso, só voltando aos trabalhos no mês de fevereiro.

Publicidade

Um dos autores do projeto, vereador Milton Leite, disse que o aumento é justo. Ele usou como argumento o fato dos legisladores estarem há quatro anos sem aumento e que a inflação acumulada no período foi em torno de 32%. Já o vereador José Pólice Neto (PSD), um dos 11 a votarem contra o reajuste, disse que o aumento até que seria justo, mas não neste momento de crise que atravessa o país. Mas nem todos poderão usufruir do novo vencimento. Dois 55 vereadores da Casa, 22 encerrarão seus mandatos ao fim desta legislatura.

Algumas pessoas que estavam na antessala da presidência da Câmara protestaram contra o aumento do salário dos vereadores. Eles questionaram o fato desse projeto ter sido votado em detrimento de outros que terão que esperar. #Política