Uma militante feminista da UBM (União Brasileira de Mulheres) e filiada à UJS (União da Juventude Socialista) foi estuprada e morta em um bar na região da Mooca, Zona Leste da capital paulista. Débora Soriano tinha 23 anos de idade e dois filhos pequenos.

O #Crime aconteceu no último dia 14 de dezembro no bar Sr. Boteco, o agressor era o gerente do estabelecimento e primo do dono. Willy Gorayeb Liger, de 27 anos. Ele é suspeito de ter violentado e espancado brutalmente a jovem Débora, que não resistiu aos ferimentos e morreu.

Contra Liger há outras denúncias de violência sexual, além de um mandado de prisão em aberto desde 2011 por uma condenação por estupro e roubo.

Publicidade
Publicidade

O proprietário do estabelecimento, Delano Ruiz Liger, de 34 anos, foi quem fez a denúncia do crime no 18º DP do Alto da Mooca. Ele contou aos policiais que recebeu uma ligação do primo, que confessou o crime e pediu para que não abrisse o bar naquele dia para que pudesse esconder o corpo da vítima. O comerciante resolveu denunciar o crime após consultar um parente que é policial civil.

Segundo informações, não havia nenhum vínculo entre Willy e Débora.

O laudo pericial indica que havia hematomas nas partes íntimas, no rosto e na cabeça da vítima, Débora também estava sem calcinha e com a saia levantada na altura do quadril, ela usava sutiã e tinha a blusa levantada acima do peito, havia ainda fios enrolados no pescoço.

Há informações de que a vítima tenha sido atacada com um taco de basebol.

Publicidade

A Polícia divulgou a foto do suspeito que está foragido. Qualquer informação que leve á prisão de Willy deve ser encaminhada ao 18º DP do Alto da Mooca, localizado à Rua Juventus, 350 - Telefone: (11) 2273-5751, pelo Disque Denúncia através do telefone 181, ou também pela internet no site do WebDenúncia webdenuncia.org.br.

Vizinhos do local e parentes da vítima pedem que seja feita justiça, para que este crime não seja mais um em que o agressor saia impune.

Serviços

Disque DenúnciaTelefone: 181 Sigilo absoluto

Web Denúncia webdenuncia.org.br Sigilo absoluto #São Paulo #Casos de polícia