Dois grandes sites de notícias da internet, o 'Meio Norte' e o '180 graus' repercutiram informações que estão sendo muito comentadas nas redes sociais brasileiras. Os sites seguem uma nota do 'Portal Atualizado', que garante que uma pastora de uma igreja evangélica do município de Botucatu, no interior de São Paulo, teria sido levado às pressas para o hospital. Identificada apenas como 'Zélia', a mulher é a mesma que revoltou o país nessa semana, ao aparecer quebrando uma imagem de Nossa Senhora Aparecida em um gramado. A pastora quebra a santa com a ajuda de um martelo. Ao seu redor, vários fiéis fazem orações e chegam a gritar frases como "Aleluia" e pedem que o tal "mal" seja tirado da imagem, que é sagrada para os católicos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os sites, a pastora teria passado mal nesta quinta-feira, 12, em sua casa. Após quebrar a imagem de Nossa Senhora Aparecida, ela disse que não estava bem. Parentes então a levaram imediatamente para o Hospital Municipal de Botucatu, onde os médicos revelaram qual era o mal que Zélia tinha: ela acabara de sofrer um ataque cardíaco. Apesar da doença atingir seu coração, ela já estaria bem e fora de perigo. A equipe de reportagem do Portal Atualizado diz que conversou com a pastora por telefone e dá detalhes do que ela respondeu na ligação.

Segundo a religiosa, ela teria conversado com anjos divinos, antes de voltar ao mundo dos vivos. Em seguida, a mulher diz que está muito arrependida do que fez. "Tenho que respeitar e espalhar amor, essa é minha missão na terra", teria dito Zélia após quase falecer por conta do ataque cardíaco.

Publicidade

Ela ainda solicitou o perdão aos católicos por quebrar no vídeo o objeto considerado sagrado. Muitos posts publicados em grupos no Facebook confirmam tal história, mas a confirmação desta é complicada, já que os envolvidos nas imagens, após a repercussão negativa, evitam falar no assunto.

Na sua opinião, a pastora teria se arrependido de verdade após quase morrer? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante. #Religião #Crime