Na última quarta-feira (11), uma revelação chocou os moradores de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Uma #mãe matou o filho a facadas por não aceitar sua condição homossexual.

A mãe, Tatiana Lozano Pereira, confessou à Polícia Civil que matou o filho, Itaberlly, de 19 anos, com golpes de faca e queimou seu corpo. A mulher afirmou que foi ajudada pelo marido, que era padrasto do garoto. Ela também alegou que o garoto ameaçava todos os familiares de morte.

O crime aconteceu no dia 29 de dezembro do ano passado e Tatiana contou que não aguentava mais a situação. Ela disse que o filho bebia muito, consumia drogas e matinha relações sexuais com outros homens dentro de sua casa.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações da Polícia Civil, no último sábado (7/1) foi encontrado um corpo carbonizado em um canavial. O cadáver tinha as mesmas características de garoto Itaberlly.

A família registrou boletim de ocorrência sobre o desaparecimento de Itaberlly somente na última segunda-feira (9/1), logo após as noticias sobre a policia ter encontrado um cadáver queimado se espalharem pela cidade.

A mulher e o marido foram presos temporariamente e vão responder pelo crime de homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Os crimes contra gays, bissexuais, lésbicas, transgêneros, travestis e transexuais cresceram 94% do ano de 2014 para 2016. Em muitos casos, essas pessoas são ofendidas, agredidas e até mortas.

De acordo com pesquisa realizada este ano, as denúncias contra homofobia, realizadas através do telefone do Disque Denúncia, estão em primeiro lugar no canal e representam mais de 50% das denúncias no Brasil.

Publicidade

As denúncias recebidas através do Disque Denúncia são encaminhadas para órgãos que combatem a homofobia, para o Ministério Público e também para a Defensoria Publica. As vítimas de homofobia podem e devem se dirigir a qualquer delegacia mais próxima e registrar um boletim de ocorrência.

Homofobia é crime e vem crescendo, principalmente em redes sociais. Muitas pessoas usam a internet para ofender, demonstrar preconceito e ódio. #gay #Filhos