Na tarde do último Domingo (1), na cidade de Italhaém, litoral de São Paulo, uma turista de 25 anos foi atingida por um raio durante uma caminhada na beira da Praia dos Sonhos, situada na Baixada Santista, onde estava a passeio com a família.

Imagens gravadas por um cinegrafista amador mostram o momento do #Acidente. Elas mostram o momento em que ela foi atingida pelo raio e caiu.

Enquanto aproveitava o feriadão de virada de ano caminhando pelas areias da Praia dos Sonhos, Taline Campos, de 25 anos, sofreu uma descarga elétrica. As pessoas que estavam por perto e viram o ocorrido e chamaram por socorro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao local e fez os primeiros atendimentos.

Publicidade
Publicidade

Em seguida, encaminharam a vítima para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A jovem teve uma parada cardiorrespiratória e seu estado é critico.

Segundo o climatologista Rodolfo Bonafim, durante o Inverno e Verão são registrados várias queda de raios na Baixada Santista e, sem o devido conhecimento, a população acaba sendo vítima desse fenômeno da natureza. Outro fator é que a água salgada é um grande condutor de eletricidade. “É muito difícil um raio atingir uma pessoa. Os raios caem na areia ou na água, dessa forma as pessoas acabam recebendo a descarga elétrica”, explicou o climatologista.

Raios no Brasil

Especialistas recomendam como agir ao ser surpreendido com uma tempestade com raios. É preciso tomar vários cuidados:

- Mantenha distância das águas e areias da praia;

- Fiquem afastado das árvores.

Publicidade

Elas são um grande condutor de eletricidade;

- Não use telefones celulares;

- Em caso de viagem, fique dentro do carro;

- Em casa ou estabelecimento comercial, permaneça longe de janelas e portas;

- Nunca fique dentro d'água;

- Se estiver na chuva, corra e procure abrigo em edifícios e casas

As descargas elétricas matam, em média, 111 pessoas por ano no #Brasil, segundo levantamento feito pelo instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A pesquisa foi feito com base nos registros dos últimos 15 anos.

#São Paulo