O que era para ser uma festa em família terminou na morte de treze pessoas, e na primeira tragédia de #2017. O pior desta historia é que o assassino, além de matar sua ex-mulher e mais dez membros de sua família, tirou a vida de seu próprio filho.

Um das pessoas que sobreviveram à tragédia, o adolescente Thiago Donato, de 17 anos, relatou para a polícia os momentos de terror vivido por três famílias que estava na festa. Ele escapou com vida por ter se escondido no banheiro após perceber o que estava acontecendo e ao ver um tio caído morto ao chão. No início, ele achou que os barulhos eram fogos de artifício.

Esta fatalidade aconteceu na cidade Campinas, no Bairro Jardim Aurélia, no Estado de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Sidnei de Araújo, 46 anos, invadiu uma residência no endereço citado, atirou em 15 pessoas e depois se matou.

Quatro pessoas foram resgatadas com vida, mas uma delas faleceu na unidade hospitalar. As três pessoas que permanecem internadas estão em estado estável.

Além do adolescente, mais duas pessoas conseguiram escapar dos disparos, sendo que uma delas não precisou se esconder, pois o assassino a poupou por que ela estava com um bebê no colo.

A #chacina teve início poucos minutos antes da virada de ano, ainda na noite de sábado (31). O autor entrou na residência pulando um muro. A ex-mulher dele, Isamar Filier, 41 anos, era o seu alvo. Ela foi morta após ouvir queixas do assassino.

Toda a dinâmica do crime foi relatada pelo adolescente que perdeu na tragédia a mãe e o avô. Já seu pai foi baleado e segue internado.

Publicidade

De dentro do banheiro, o adolescente ligou para a polícia. Em depoimento, ele disse ter ouvido o assassino dizer à ex-mulher que iria matá-la por que ela havia tirado dele o seu menino.

Outra situação desesperadora relatada pelo adolescente foi quando ele ouviu o assassino matar o garoto após o pequeno dizer a frase: “Você matou minha mãe”.

Segundo informações do adolescente repassadas à policia, o assassino estava brigando na Justiça pela guarda do menino. O casal havia se separado por que a mãe do garoto suspeitava que o filho estivesse sendo abusado sexualmente pelo próprio pai.

A Polícia Civil iniciou as investigações no local do crime. Os corpos foram removidos pela equipe do IML durante a madrugada de domingo. #Casos de polícia