Uma menina de 9 anos foi encontrada morta nesse domingo (29), em Santos, no litoral de São Paulo. De acordo com a polícia, a garota estava com as roupas levantadas e com sinais de abuso sexual. Até o momento não há nenhuma suspeita de quem cometeu o crime, mas algumas testemunhas estão sendo ouvidas.

Segundo a família de Carla Roberta, ela foi encontrada morta no bairro de Paquetá, na Rua Constituição. Antes do crime, a menina havia saído para brincar com os amigos, da mesma faixa etária. Como ela demorou muito para voltar, a família começou a se preocupar. De acordo com o tio da vítima, a mãe da criança foi informada de que Carla havia sofrido um acidente, por volta de 18h.

Publicidade
Publicidade

Então, decidiu ir até o local para ter mais informações sobre a menina e soube que a criança havia saído, momento antes, e levada para dentro de um carro desconhecido.

O corpo da menina foi encaminhado para o Instituto Médico legal (IML) de Santos para ser analisado e para que seja descoberta a causa da morte. A Polícia Civil informou que está buscando informações para serem esclarecidos os fatos e que analisará a câmera de segurança em torno da garagem de uma empresa, perto do local onde a criança foi encontrada morta, para poder chegar ao suspeito que cometeu o crime contra a garota.

Esse foi apenas um dos casos de muitas crianças e adolescentes que morrem por conta de criminosos. Cerca de 70% dos casos de estupros são contra crianças e adolescentes. Essa taxa é alarmante e serve de alerta a muitos pais para que tenham atenção com os filhos.

Publicidade

O estupro é um crime em que poucos casos resultam na condenação do criminoso. No Brasil, o local com maior número de casos registrados é o Estado de São Paulo.

O corpo de Carla Roberta foi velado na tarde de segunda-feira, dia 31 de janeiro, e o enterro foi na manhã desta terça, às 10 horas, no cemitério Areia Branca, na própria cidade de Santos. Os familiares e amigos da menina estão muitos tristes com o fato e, como Maria Ângela Martins, vizinha da vítima, pedem “justiça”. #assassinato #Investigação Criminal