A simples aplicação de uma multa virou caso de polícia, com direito a socos e pontapés, na tarde desta terça-feira (7), no bairro do Braz, centro de #São Paulo. Por volta das 13 horas, um agente da Companhia de Engenharia e Tráfego (#CET) multava um veículo que estava estacionado em um local de Zona Azul sem adquirir o cartão que lhe dava o direito, na Rua Maria Joaquina, quando o dono do carro apareceu e após uma discussão partiu para cima do agente.

O fato foi registado pelas câmeras de segurança de um prédio da mesma calçada. As imagens mostram o homem (de camisa laranja no vídeo), visivelmente alterado, falando e gesticulando muito com o marronzinho (como popularmente são chamados os agentes da CET), que visivelmente está tranquilo.

Publicidade
Publicidade

Quando ele tira um aparelho celular do bolso para registrar a multa, o valentão dá um tapa em sua mão, derrubando o aparelho no chão e depois parte para a briga. O marronzinho tenta se defender, também revidando os socos. Um homem que passava pelo local tenta separar a briga. O motorista até se afasta, mas logo em seguida o pior acontece.

Descontrolado, o dono do carro aparece correndo e, de surpresa, acerta um chute no agente. Os dois caem no chão. O outro homem que havia apartado a briga, e que fisicamente era maior que os dois, entra em ação novamente e segura o agressor. Neste momento o homem agredido – que não deve ser de levar desaforo para casa – se aproveita da oportunidade e “devolve” o pontapé. Durante a confusão, vários curiosos se aglomeram em volta, mas ninguém mais intervém.

Publicidade

O desentendimento foi parar na delegacia, com o registro de um boletim de ocorrência e o agressor terá mais problemas do que uma simples multa. Ele responderá por crimes de injúria, danos ao patrimônio (isso porque o celular acabou destruindo ao ser derrubado no chão) e lesão corporal. A Companhia de Engenharia e Tráfego também entrará na justiça contra o motorista. Abalado, o agente de trânsito disse que agiu em legítima defesa e que também entrará com processo contra o agressor. #Casos de polícia