Seja no Rio de Janeiro ou em São Paulo, o #Carnaval sempre fica marcado por crimes e tragédias. Na capital paulista, o casal encontrado morto num apartamento de alto padrão no Itaim Bibi, área nobre, chocou a vizinhança. Segundo a Polícia Civil, a advogada Renata Vieira de Souza Ferrão, 51 anos, foi morta a tiros pelo marido, o empresário João Alberto Ferrão, 64. Após assassinar a esposa, ele se suicidou.

O empresário era diretor de uma grande rede de estacionamentos na capital paulista. De acordo com amigos da advogada assassinada, ouvidas pelo portal R7, o casal estava em processo de separação litigiosa.

Investigação

A delegacia do 13º Distrito Policial, em Pinheiros, está a cargo da investigação.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações já divulgadas, o #Crime ocorreu por volta das 17h15 do último sábado. O casal morava em uma cobertura do Condomínio Itaim Podium, na Rua Bandeira Paulista.

Os corpos foram encontrados pela Polícia Militar em locais diferentes do apartamento. A advogada Renata estava no closet; o empresário João Alberto estava na área da piscina. A arma do crime, que será periciada pela Polícia Civil, estava ao lado do corpo de João.

Carta de suicídio

A suspeita de que João Alberto matou Renata e depois se suicidou foi a primeira apontada pela investigação. De acordo com o portal G1, a PM registrou no Boletim de Ocorrência que encontrou uma carta em que ele declarava a intenção de se matar e dá instruções sobre como proceder na administração da empresa de estacionamentos da qual ele era o principal executivo.

Publicidade

Apesar de todas as provas, a Polícia Civil vai aprofundar a investigação.

Enterro

Vizinho do casal e amigo há quinze anos do empresário, o radialista Edson Nico Natale falou à TV Record que todos estavam chocados. Eles "não demonstravam qualquer problema em público". Outro vizinho informou que o corpo do empresário foi enterrado neste domingo em #São Paulo.

Violência no carnaval no interior

Em outro caso de crime doméstico, um filho matou o pai a pauladas em Sorocaba, interior de São Paulo. A Polícia Militar informou ao portal G1 que a vítima de 68 anos foi atacada, neste domingo, pelo filho durante uma briga. O rapaz, que não teve a identidade revelada, teria começado a agredir o pai após pedir dinheiro e não ser atendido. Ele teria resistido à prisão e estava visivelmente alterado quando a Polícia Militar chegou ao local da ocorrência.

A vítima foi socorrida pelo SAMU mas morreu a caminho do hospital.