Uma brincadeira acabou em tragédia nos fundos de uma padaria na Praia Grande, litoral de São Paulo. Uma mulher foi morta por um tiro durante uma brincadeira do próprio #Marido. As câmeras de segurança do local mostram o desespero do marido e funcionários quando percebe que atingiu acidentalmente a esposa com um tiro no pescoço.

A mulher foi socorrida no local até a chegada do SAMU, deu entrada no hospital, mas infelizmente acabou falecendo. As imagens do vídeo foram obtidas pelo G1, site de notícias da Globo.

A padaria Santa Terezina foi o cenário do #Crime. O marido, Alexandre Severino de Noronha, 35 , e a esposa Francisca Marinheiro da Silva, 37, trabalhavam na gerência do local.

Publicidade
Publicidade

Alexandre decidiu mostrar a arma que acabara de comprar para a esposa. A salinha onde aconteceu o disparo é um ambiente reservado nos fundos da padaria para descanso de funcionários.

O casal não trabalha no mesmo período, eles estavam trocando o turno no momento em que o marido decidiu mostrar a aquisição para esposa.

O delegado Alexandre Comin, responsável pelo caso, disse que ele pegou a arma e apontou, aparentemente em tom de brincadeira, para a esposa e para outro funcionário. Repousou a arma e quando ele pega a arma novamente (vídeo) ele descarrega a arma e faz uma brincadeira, com a esposa. Entretanto, havia uma bala na agulha que foi disparada contra a mulher.

As imagens mostram Alexandre desesperado tentando socorrer a esposa. Depois chega um outro funcionário fazendo massagem cardíaca em Francisca.

Publicidade

O SAMU encaminhou a mulher para o Pronto Socorro Central da cidade, mas logo depois Noronha recebeu a notícia que havia matado sua esposa.

Ele confessou para a médica que havia feito o disparo e a polícia foi chamada. Alexandre foi preso em flagrante delito e ouvido pelo delegado Comin. O acusado confirmou o disparo e disse que foi acidental, em uma brincadeira malsucedida.

O marido responderá pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e #homicídio doloso, mesmo que o dolo seja eventual. Explica o delegado que não se pode brincar com arma de fogo. Mesmo sendo uma fatalidade, ele assumiu o risco de matar.

Assista ao vídeo: