A menor Kethilyn Gasparotto, de apenas 13 anos, está desaparecida desde a madrugada de sábado para domingo (12) depois que fugiu de casa. A adolescente foi vista pela última vez no baile funk do Pantanal, na Pedreira, bairro localizado na zona sul da cidade de São Paulo.

Moradora do Jardim Monte Líbano, na região de Santo Amaro, também na zona sul, Kethilyn estava vestida com uma blusa de frio na cor azul bebê, da marca Hollister, shorts curto, tênis preto e body rosa borboleta por baixo da roupa. As informações estão nos pedidos de ajuda divulgados em vários grupos do Facebook, nas últimas horas.

Redes sociais

Tia de Kathilyn, Karolyne Gasparatto desabafou nas redes sociais sobre o sumiço da menina.

Publicidade
Publicidade

"Triste, cansada, exausta é como estou me sentindo hoje. Agradeço a todos que estão se movendo de alguma forma para ajudar", disse a tia, em publicação que foi ao ar na noite de segunda-feira. Ela confirmou ao Blasting News que sua sobrinha está desaparecida desde a madrugada de sábado.

Polícia acionada

O Boletim de Ocorrência do caso foi aberto no 98º Distrito Policial, no bairro de Jardim Miriam, zona sul da capital, próximo ao local do #desaparecimento, e a polícia investiga o sumiço da menor de idade.

É praxe, em situações como esta, que o Boletim de Ocorrência seja aberto apenas 24 após o sumiço. Antes disso, o delegado que estiver de plantão na delegacia não inicia os procedimentos e tratativas para um caso de desaparecimento.

No caso de Kethilyn, já são quase 72 horas longe de casa, sem dar nenhuma notícia à família.

Publicidade

Todo ano, cerca de 250 mil pessoas desaparecem em todo o Brasil. Desse total, 40 mil têm menos de 18 anos – faixa de idade a que Kethilyn Gasparatto pertence.

Contato

Enquanto a garota não é encontrada, familiares e amigos vivem o drama de ter um ente querido desaparecido. Quem tiver informações do paradeiro de Kethilyn Gasparatto pode entrar em contato com a família pelo Facebook e pelos números de telefones divulgados nas publicações feitas nas redes sociais.

#desaparecidos #Baile funk