O #TEG (#Transporte Escolar gratuito) é um programa da #Prefeitura de São Paulo que oferece transporte de ida e volta a crianças da rede pública de ensino. Recentemente, passou por algumas mudanças na gestão do atual prefeito João Doria.

Rota a pé

O programa recebeu um corte que foi justificado pela prefeitura como "rota a pé", ou seja, o corte é feito aos que, segundo critérios da gestão, têm condições de fazer o trajeto "casa - escola", caminhando. O problema é que essa medida tem gerado protestos e reclamações, tanto dos pais dos alunos, quanto dos transportadores escolares que perderão seus empregos com essa nova mudança.

Publicidade
Publicidade

A avenida Ragueb Chohfi, localizada na zona Leste de São Paulo, área bastante afetada pela mudança, foi fechada por pais, crianças e motoristas de vans para pedir revogação dessa ação. A semana de volta às aulas chegou e muitas das crianças não compareceram às escolas pela falta do transporte escolar, o que aumentou a indignação dos responsáveis que participaram do protesto.

Os manifestantes fecharam as ruas com carros velhos e levaram cartazes para demonstrar o descontentamento.

A prefeitura de São Paulo anunciou que as crianças que perderam o direito ao transporte devem ser transferidas para escolas mais próximas de sua residência, que possuam um trajeto possível de ser feito a pé e que a ação não será revogada. Em casos em que os pais acham que a ação é indevida, existe uma alternativa de recorrer através das diretorias regionais.

Publicidade

Quem tem direito ao TEG?

Para ter direito ao programa, a criança precisa, primeiramente, estudar em uma escola da rede pública e residir a mais de 2 quilômetros da escola.

O TEG prioriza sempre as crianças menores, as que moram mais longe e as que têm necessidades especiais.

Algumas normas e especificações podem mudar de acordo com o município que oferece o serviço, por isso, é importante que os pais e responsáveis verifiquem e informem-se em sua cidade sobre os direitos que a criança possui e se o corte para cada caso foi indevido.