Cenas lamentáveis no carnaval paulista foram flagradas pelas câmeras do telejornal Bom Dia São Paulo, da Rede Globo, início da noite deste sábado (18).

A equipe mostra uma confusão que terminou em pancadaria. A briga por pouco não resultou em tragédia maior. O cinegrafista, inclusive, filmou o momento em que uma arma caiu no chão durante a troca agressões, envolvendo ao menos quatro pessoas.

Tudo aconteceu no final do bloco carnavalesco Chá da Alice, que desfilava no bairro de Pinheiros, localizado na Zona Oeste da capital paulista. A polícia sequer tomou conhecimento do episódio.

Conforme pode ser visto nas imagens, quatro homens aparecem trocando socos e pontapés.

Publicidade
Publicidade

Um deles levava a pior, caído no chão. Outros três entram na confusão e tentaram ajudá-lo. De repente, é possível ver uma arma que escapa da cintura de algum dos brutamontes valentões. O revólver fica caído no chão enquanto a pancadaria continua, para pânico dos demais foliões presentes.

Depois de alguns segundos, um dos foliões brigões percebe o revólver no chão, pega o objeto e se retira do local. Não é possível saber se a arma era dele ou de algum outro homem envolvido na briga.

O cidadão careca e de blusa clara que pegou a arma rente ao meio fio, era o estava levando a pior no início do confronto e depois foi ajudado por outros sujeitos.

A briga teria acontecido um pouco antes das 19 horas, com dia ainda claro. Durante a confusão, parte dos foliões tentou sair de perto. Outros tentaram separar os envolvidos.

Publicidade

Tudo aconteceu longe dos olhos da polícia. Antes que agentes chegassem no local o tumulto se dispersou e a brincadeira de rua recomeçou.

O bloco, original de Salvador, na Bahia, foi animado pela cantora baiana Alinne Rosa e puxou uma multidão de mais de mais de 50 mil brincantes, na Avenida Faria Lima, região de Pinheiros. Esta é a segunda vez que o Chá de Alice, um dos preferidos do segmento GLS, anima as ruas de São Paulo. De acordo com os organizadores, a aposta é que a atual edição superou em participação de paulistanos comparado ao ano passado.

#Crime #Casos de polícia