O estupro é um dos crimes mais violentos e covardes do planeta. Recentemente o Brasil se mobilizou contra a cultura do #Estupro, a cultura de transformar a vítima em culpada. Muito pouco se evoluiu. Infelizmente o machismo ainda está arraigado em algumas correntes da sociedade e ainda é possível ouvir que a mulher que sai de pernas de fora está "pedindo para ser estuprada", ou se está dando "vacilo" na rua deserta, sabe o que vai acontecer.

Neste sábado (5), uma #adolescente de apenas 17 anos, teve uma atitude inusitada e uma presença de espírito incrível, mediante a covardia da iminência de um estupro. A informação divulgada pela Polícia Civil de Piracicaba dava conta que a jovem afirmou ser portadora do vírus HIV para tentar evitar ser violentada sexualmente.

Publicidade
Publicidade

A jovem informou à polícia que ela e seu namorado, 19 anos, ambos moradores de rua, faziam uma apresentação de malabarismo em um semáforo na região do centro da cidade, quando o casal foi abordado pelo suspeito, um indivíduo ainda não identificado. O homem chegou de carro e ofereceu um almoço aos jovens.

O site de notícias G1 informou que na nota da polícia, a vítima e seu namorado aceitaram o convite para almoçar. Inicialmente, apenas o rapaz entrou no carro. Ele pediu carona até uma outra rua no centro, pois alegou que havia esquecido umas chaves no local. O namorado da vítima foi então deixado ali.

O suspeito voltou até o semáforo e pediu para que a moça entrasse no carro, pois eles voltariam para buscar seu namorado onde ele havia sido deixado. A partir daí começa o crime. O homem não retornou ao local.

Publicidade

O carro com a jovem foi conduzido até um bairro distante do centro, Santa Rosa, e o homem ficou assediando a garota, tentando agarrá-la à força. A garota disse que tentou entrar em luta corporal com o homem, mas viu no momento que seria inútil. Então disse que estava com Aids como última alternativa para evitar o crime de estupro. Assim que ela fez a afirmação o homem desistiu de efetuar a penetração, mas ainda a obrigou a fazer sexo oral. Essas informações foram relatadas também no Boletim de Ocorrência que a jovem registrou.

O agressor, logo depois do ato, levou a vítima até o semáforo onde fazia malabarismos. A menina buscou ajuda da Guarda Municipal que, de pronto, a encaminhou uma unidade de saúde para os devidos exames e para ser medicada. O suspeito ainda não foi identificado. #São Paulo