Seis pessoas ficaram feridas após um choque entre dois trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (#CPTM). O acidente aconteceu por volta das 8 horas da manhã desta quinta-feira (2), na estação de #Barueri, na Grande São Paulo, no sentido Júlio Prestes. Três feridos foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros no local e outros três levados para hospitais da região.

Segundo informações da assessoria de imprensa da empresa, a maquinista, que manobrava uma das composições que estava vazia, sofreu um mal súbito e não conseguiu freá-la, provocando o choque contra outra que estava parada e com passageiros. O choque provocou um efeito sanfona em alguns vagões e pedaços do teto chegaram a cair.

Publicidade
Publicidade

Um vídeo publicado no portal G1 não mostra a maquinista tendo algum problema de saúde aparente. Nas imagens, ela é vista de pé e, segundos antes da batida, puxa da alavanca do freio de emergência. Ela foi uma das pessoas feridas que foram levadas para o hospital, porém, como estava em estado de choque, não pôde explicar o que de fato aconteceu na hora do #Acidente.

Em entrevista ao mesmo portal, o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, disse que vai apurar o que ocorreu. Ele ressaltou que os mais de 1500 funcionários são treinados para que, quando enfrentarem problemas, parem o trem, mas não foi o que aconteceu desta vez.

Por conta do acidente, a circulação chegou a ser interrompida no trecho e as composições passaram a andar em velocidade reduzida em ambos os sentidos, por toda a extensão da linha.

Publicidade

A CPTM informou que, por volta das 9 horas, a situação já havia se normalizado.

Em 2000, um choque entre dois três na estação de Perus, em São Paulo, matou 12 pessoas e deixou 90 feriadas. O acidente foi provocado por falha nos freios de uma das composições, que se movimentou sem maquinista e bateu contra outra que estava parada na estação seguinte com vários passageiros.

Outros acidentes

Este não é o primeiro problema envolvendo trens da CPTM nos últimos tempos. Somente em fevereiro, foram registrados, na capital paulista, três descarrilamentos. Um na Linha Safira, um na Linha Lilás e outro na Linha Vermelha.