Um incêndio criminoso aconteceu na tarde da última sexta-feira, 3, em São José do Rio Preto, região metropolitana de São Paulo. Segundo testemunhas, um homem jogou um liquido sobre o veículo, depois ateou fogo com o auxílio de um pedaço de papel e empregou fuga.

O carro pertencia ao jornalista policial, do Diário da Região, Rodrigo Lima. O profissional estava trabalhando no momento do #Crime. Os seguranças do jornal identificaram o incêndio e comunicaram o proprietário do automóvel, por volta das 17h30.

A polícia foi acionada e informou que acredita que seja uma represália pelas reportagens feitas por Rodrigo, principalmente as que envolvem temas políticos, pois geram grande repercussão na população.

Publicidade
Publicidade

Essa desconfiança também é compartilhada pelo editor chefe do Diário da Região, Milton Rodrigues, que disse que, apesar de não ser possível afirmar que é esse o motivo do crime, é considerável que as matérias envolvendo política, feitas por Rodrigo, têm gerado grande impacto na região.

Um inquérito policial foi aberto e a polícia investigará o que motivou o crime, bem como tentará identificar o homem que causou o incêndio. Até que as investigações sejam concluídas, não é possível afirmar que tenha ocorrido um #Atentado, embora essa tese tenha se tornado um dos principais assuntos comentados pelos moradores da cidade. Supostas teorias da conspiração também ganharam espaço nas redes sociais, onde a população começou a levantar hipóteses sobre quem teria cometido o crime.

Até o momento, o jornalista Rodrigo Lima não conferiu nenhuma declaração sobre o ocorrido.

Publicidade

Mesmo sem a conclusão dos autos do inquérito policial, Lima deve tomar cuidado redobrado, afinal, ainda não se sabe se o incêndio foi um ‘recado’ de quem está insatisfeito com os assuntos abordados e revelados através de seu trabalho com o jornalismo investigativo.

O jornal divulgou um vídeo com imagens do veículo pegando fogo e como o mesmo ficou, após o fogo ser contido. Não foram divulgadas ao público, imagens da pessoa que cometeu o crime.

#Casos de polícia