Mais uma morte foi registrada no Brasil, mas dessa vez foi contra um comerciante de São Paulo. Esse foi mais um caso de morte lamentável, onde o filho da vítima ofereceu o seu próprio cofrinho em troca da vida do seu pai. O crime comoveu toda a sociedade.

Um marceneiro identificado como José Eleandro, de 37 anos, foi assassinado nesta última quinta-feira (23), durante um assalto no sítio de sua família, no bairro Juquitiba, na grande São Paulo. O trabalhador estava acompanhado, no momento em que morreu, de sua mulher e seu filho, de apenas 6 anos. O menino, não querendo que seu pai morresse, chegou a oferecer o seu cofrinho, onde guardava suas moedas, em troca da vida de José.

Publicidade
Publicidade

Mesmo com a oferta da criança, os assaltantes não aceitaram e acabaram matando o pai do garoto.

De acordo com informações, o pai do menino, ao perceber e ouvir os três criminosos entrando em sua residência, imediatamente pegou uma arma que guardava para proteger a si e a sua família de assaltos. Os assaltantes, vendo que o homem estava armado, acabaram pensando que ele fosse um policial e dispararam uma bala no seu coração. Os criminosos, depois de atirarem no trabalhador, ainda ameaçaram matar a sua mulher que estava por perto. O crime todo aconteceu na frente da criança (filho de José). Ao ver que seu pai estava correndo risco de morrer, a criança ofereceu o seu único cofrinho, onde guardava suas moedas, aos bandidos. Os criminosos fugiram e deixaram o imóvel sem levar nada da casa.

Segundo informações divulgadas na Rede Record, um dos suspeitos de participar do crime, identificado como Josias Fernandes, de 20 anos, foi preso.

Publicidade

Josias, após ser preso, assumiu a sua participação no acontecimento, mas negou ter feito disparos contra comerciante. O suspeito carregava consigo um revólver calibre 32. A perícia irá investigar se o tiro foi disparado desse revólver. O acusado não informou onde estão os seus comparsas e a polícia está fazendo uma busca para achá-los. Os amigos e familiares do morador se ficaram tristes com o seu falecimento e querem que os criminosos sejam punidos pelos seus atos. #Investigação Criminal #Casos de polícia