Um ônibus escolar atingiu e matou uma criança de 10 anos, na noite da última segunda-feira (13), em Mococa, São Paulo. O veículo era responsável pelo transporte escolar dos alunos da zona rural da cidade. De acordo com o boletim de ocorrência, Daniel Fernando Gonçalves estava sentado na escada do ônibus escolar que trafegava pela cidade, transportando Daniel e várias outras #crianças. Segundo o motorista, ele insistiu que queria ficar nos degraus do veículo, pois fazia muito calor e as portas estavam abertas para melhorar a circulação do ar.

Segundo informações publicadas pelo portal de notícias G1, o motorista chegou a alertar o garoto sobre o perigo de viajar naquele local, principalmente quando as portas estão abertas.

Publicidade
Publicidade

Mas, sem dar ouvidos ao condutor do veículo, Daniel desceu para o último degrau da escada e, em determinado momento, acabou caindo.

A irmã do garoto viu o momento que ele escorregou para fora do ônibus. Desesperada, ela gritou para que o motorista parasse. O motorista encontrou Daniel desmaiado próximo à roda traseira do veículo. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

Submetido ao teste de bafômetro, que deu negativo, o condutor do veículo prestou depoimento e foi liberado. Em nota, a prefeitura da cidade disse que abrirá sindicância sobre o #Acidente.

O órgão afirmou que quem faz o transporte dos estudantes que moram na zona rural da cidade é uma empresa terceirizada. De acordo com o comunicado, a prefeitura exige da empresa que seus veículos sejam vistoriados pelo Detran.

Publicidade

Além disso, o Departamento de Educação da cidade realiza uma fiscalização rotineira, junto às empresas que prestam o serviço, para garantir a segurança das crianças.

A empresa

O responsável pela empresa de transporte Classe A, João Carlos Lúcio, afirmou que irá investigar o caso. Segundo ele, o veículo passou por uma vistoria no início do ano. O proprietário da empresa afirmou que o acidente aconteceu próximo à casa do garoto e que o motorista trabalha neste trajeto há cinco anos. #Escola