Com coxinhas. Foi dessa maneira que servidores municipais foram recebidos por dois assessores do prefeito de #Sorocaba José Crespo (DEM), na noite desta quarta-feira (22). O grupo protestava contra a falta de #Reajuste salarial e após ato se dirigiu à casa do chefe do executivo, que fica no bairro Campolim, um dos mais nobres da cidade, onde foram recepcionados com os deliciosos salgados. Indignados, os servidores classificaram a atitude como provocação, deboche e desrespeito.

O fato aconteceu por volta das 20h40, quando os assessores saíram na porta carregando uma caixa com cerca de 100 salgados. Uma servidora até chegou a pegar um deles, porém os demais logo perceberam que se tratava de uma provocação e reagiram.

Publicidade
Publicidade

“Nós queremos respeito, nós não queremos coxinha”, gritaram. Em resposta, eles derrubaram a caixa de papelão das mãos de um dos assessores e começaram a pisotear as coxinhas. O repórter Adriano Castor, da Band FM de Sorocaba, registrou em vídeo o momento em que a caixa foi derrubada. Em outro, feito pelo fotógrafo do Jornal Cruzeiro do Sul Aldo V. Silva, mostra os salgados sendo pisados.

“A coxinha na verdade foi uma forma de humilhar o servidor”, disse uma servidora aposentada presente ao #Protesto. O fato provocou uma confusão, com várias pessoas querendo falar ao mesmo tempo e não demorou muito para que as críticas ao prefeito se estendessem à outras áreas. Carlos Mendonça, um dos assessores do prefeito, disse que foi ele quem comprou os salgados mas não soube dizer quanto pagou por eles, uma vez que havia adquirido outros itens.

Publicidade

Ele lembrou uma recente entrevista de Crespo prometendo que serviria os funcionários com coxinhas caso os mesmos fossem até a frente da sua casa.

Nesta quinta-feira (23), Crespo disse que servir coxinhas para o manifestante foi um ato de cortesia e solidariedade, lamentando ainda o desfecho da hospitalidade. “Pedi à minha assessoria que estivesse lá para explicar minha ausência. Só lamentei que jogaram elas no chão”, disse em entrevista, revelando ainda que ele pagou do próprio bolso pelos salgados, mas sem saber o valor.

De acordo com a Polícia Militar, entre 100 e 120 pessoas participaram do protesto. O sindicado da categoria diz que foram entre 500 e 600 pessoas.