João Victor Souza de Carvalho, de apenas 13 anos, costumava pedir dinheiro na porta do Habib’s da Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da cidade de São Paulo. No último domingo (26), a ação foi realizada pela última vez. O garoto teria sido agredido por funcionários da loja e morreu.

As versões do caso são bastante confusas, mas um vídeo divulgado nesta sexta-feira (3), da câmera de segurança de um estabelecimento que fica na mesma avenida da unidade do Habib’s pode ajudar e elucidar o caso.

As imagens, registradas pouco depois das 18h, mostram o menino sendo arrastado por dois homens, com roupas parecidas com as que funcionários da lanchonete usam – os homens seriam um segurança e o gerente da lanchonete.

Publicidade
Publicidade

A cena é forte. O menino está desacordado e é arrastado pelas duas pessoas. Em determinado momento, ele cai na rua. Os homens continuam a arrastá-lo até que o deixam na calçada.

O resgate e a Polícia Militar foram chamados. O resgate chegou primeiro e levou o menino para o hospital. Ele morreu antes de chegar ao local. Quando a PM chegou, para atender uma ocorrência de agressão, João Victor já não estava mais no local.

Versões

A versão dos familiares das vítimas ia de encontro à versão dada pela vendedora de balas Silvia Helena Croti, de 59 anos, que é a testemunha-chave para elucidar o caso. Segundo ela, o segurança da loja deu um soco na cabeça do menino. A mulher viu que o menino espumava e tentou arrumar uma colher para destravar a língua dele. Neste momento, o garoto de 13 anos já estava inconsciente.

Publicidade

Segundo o gerente e o segurança, o menino saiu correndo, tropeçou, caiu no chão e teve um mal súbito. Outros funcionários do Habib’s afirmaram que um cliente teria dado o soco no garoto.

As imagens divulgadas podem ajudar a chegar aos culpados – ou assassinos – pela morte de um menino de apenas 13 anos.

Protestos

Na quinta-feira (2), centenas de manifestantes compareceram à avenida Itaberaba, onde a lanchonete fica localizada, para protestar. A Polícia Militar acompanhou a movimentação e a loja foi fechada.

#Habib's #Crime #Violência