A Guarda Civil Metropolitana do município de #São Paulo é acusada de agredir e deter um morador de rua, identificado pelo prenome Samir, no início da manhã desta quarta-feira (3), na estação do Metrô Conceição da Linha 1-Azul, na Zona Sul da capital.

Um estudante de jornalismo, de apenas 19 anos presenciou a ação e registrou tudo através de uma câmera de celular. Ele afirmou que passava no local e, de repente, viu o tumulto protagonizado pelos GCMs da Prefeitura contra a vítima, que tentava proteger o seu colchão e um carrinho de supermercado, no qual carregava seus objetos pessoais.

Após alguns minutos, a Guarda Civil falou em alto tom que o carrinho de que a vítima estava sobe a posse foi roubado de um supermercado nas proximidades e que teria que fazer a apreensão.

Publicidade
Publicidade

“O guarda disse: ‘Você não possui uma nota fiscal deste carrinho, vamos ter que levá-lo’”, afirmou o estudante.

O morador de rua negou-se a entregar seus pertences e tentou de todas as formas proteger o carrinho e os bens que nele havia. O vídeo gravado pelo estudante de jornalismo mostra que, neste exato momento, os guardas agarraram a vítima e o derrubaram fortemente no chão, enquanto outro guarda apreendia o carrinho, juntamente com um colchão, cobertores e algumas peças de roupa.

A vítima ainda foi prensada contra a parede. É nesse momento é possível vê-lo chorando, afirmando ter sido machucado pelos guardas.

A vítima pede insistentemente para que os guardas não levem o seus bens. “Deixem meus bagulhos aqui, não levem, caramba. P*** eu já não tenho nada. Soltem-me, por favor,”.

Os GCMs, no entanto, não deram a mínima ao pedido e levaram o home para a Delegacia Policial do Jabaquara.

Publicidade

Outro lado

Uma equipe do portal R7 procurou os responsáveis pela assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de São Paulo para obter mais explicações sobre o ocorrido, a qual se posicionou por meio de duas secretarias. A de Segurança Urbana informou que a Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana vai investigar a conduta dos agentes no procedimento conta o morador de rua.

Ainda divulgou que irá afastar o guarda envolvido diretamente na ocorrência. A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania afirmou que o modo em que os Guardas Civis Metropolitanos fizeram a abordagem do morador em situação de rua não se enquadra com a política e a orientação da Prefeitura de São Paulo, da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania. #agressão #Moradores de Rua