Foi internado, nesta terça-feira (30), o irmão de Suzane von Richthofen, Andreas Albert von Richthofen, de 29 anos. Ele apresentava diversos ferimentos pelo corpo e foi encontrado por policiais militares dormindo no quintal de uma casa. O imóvel teria sido invadido pelo jovem, seguindo a “ordem do Imperador” . Segundo funcionários do Hospital do Campo Limpo, essa foi a versão relatada pelo próprio Andreas.

No atendimento médico, ele afirmou estar “paranoico” e, quando questionado se era viciado em drogas, afirmou usar álcool e maconha esporadicamente.

Segundo Andreas, as lesões pelo corpo foram causadas pelas lanças dos portões da casa invadida no momento em que tentava entrar.

Publicidade
Publicidade

Não se sabe ainda há quanto tempo ele estava no local.

Maltrapilho e com olhos ‘vidrados’, oscilando entre alucinações e lucidez, Andreas foi medicado com calmantes e acabou internado na ala de saúde mental da unidade.

Andreas é doutor em química pela Universidade de São Paulo (USP) e foi transferido para o hospital psiquiátrico - Casa de Saúde João de Deus, em Pirituba, Zona Oeste de São Paulo.

Até o momento, nenhum familiar compareceu ao hospital para dar apoio ao rapaz. É aguardada a visita de um tio, o mesmo que ficou responsável por Andreas na época do crime cometido por sua irmã, Suzana Von Richthofen, em 2002, contra seus pais, o casal Manfred e Marísia Von Richthofen. Na época, Andreas tinha apenas 15 anos de idade.

Segundo relatos dos funcionários, Andreas estava muito preocupado e perguntava,, a todo o momento onde estava o Brasão de ouro que ele carregava no peito, com o nome da família.

Publicidade

Como procedimento de segurança , o objeto foi tirado e guardado pelos profissionais do hospital. Andreas segue internado, sem previsão de alta médica.

Sua irmã, Suzane von Richthofen, cumpre pena na penitenciária feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, a P1 de Tremembé, no interior de São Paulo. Ela foi condenada a 39 anos de prisão, por mandar matar os pais, em 2002.

Manfred e Marísia Von Richthofen foram assassinados a golpes de pau, enquanto dormiam, pelos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, a mando de Suzane, que não tinha um bom relacionamento com os pais e gananciava pela rica herança que seria deixada pelo casal.

É revoltante saber que essa criminosa teve o direito de curtir, este ano, em liberdade, o dia das mães por indulto concedido pela justiça. Dia das mães, o dia que seria também o dia de dona Marísia,aquela que ela mandou matar. #SaoPaulo #2017 #policial