Objeto de discussões nos últimos anos por se encontrar em uma região incômoda para o fluxo de carros da Marginal Pinheiros e de suas redondezas, a Ceagesp (Companhia de Armazéns Gerais e Entrepostos do estado de São Paulo) terá um novo local para exercer suas atividades.

As obras da futura sede estão com previsão de início para 2018 e a proposta vencedora, de acordo com o Nesp (Novo Entreposto de São Paulo), tem as assinaturas dos arquitetos Marcel Monacelli e Marcos Vieira.

Funcionalidade é a palavra-chave, já que o objetivo é otimizar e promover o fluxo ordenado, pacífico e sem interrupções de veículos (leves e pesados) e dos frequentadores.

Publicidade
Publicidade

Quer dizer: ruas internas mais largas, mais segurança e possibilidade de horários específicos de carga e descarga de produtos e mercadorias. Todo um conjunto que vise a uma ótima prestação de serviços.

Atualmente, o trânsito dentro da Ceagesp é um pouco caótico porque carros de clientes se misturam com facilidade aos caminhões, armazéns e depósitos. O projeto visualiza que esse fluxo bagunçado não ocorra, e que cada tipo de veículo tenha suas áreas próprias para circulação. Outra boa notícia é que a área de estacionamento para caminhões permitirá que se pare a 45° na vaga. As pessoas não foram esquecidas e também terão seus corredores com dedicação exclusiva.

Dentro da Nova Ceagesp haverá um centro comercial, um hotel com capacidade para 260 alojamentos, implantação de ciclovia e previsão para se construir uma futura estação de trem – pertencente à linha 7, Rubi, da CPTM.

Publicidade

O propósito do novo entreposto será puramente comercial; assim sendo, tanto o hotel quanto o centro comercial servirão aos transportadores e funcionários. Ou seja, os arquitetos não vislumbraram um caráter turístico – não se poderá passar fins de semana ou férias por ali.

Em dezembro de 2016, alguns membros do Nesp realizaram uma viagem à Europa a fim de comparar e agregar dados para a construção da Ceagesp. Passaram por locais similares na Itália, França e Espanha.

A equipe do Nesp aponta que o projeto deverá custar em torno de R$ 1,5 bilhão, valor que inclui o nivelamento do terreno, construção propriamente dita, licenciamento, entre outros itens.

Mais detalhes

O local tem uma área estimada em 1,4 milhão de metros quadrados e está no bairro de Perus, zona norte de São Paulo. Ficará próximo à Rodovia dos Bandeirantes e ao Rodoanel (Trecho Norte). Tanto o terreno quanto a administração da Ceagesp são de incumbência do Ministério da Agricultura.

Em 2015, o Governo Federal e a Prefeitura paulistana celebraram um acordo, no intuito de viabilizar outro lugar para o entreposto.

Publicidade

O Nesp, por sua vez, realizará o processo de mudança para a nova sede, bem como a reurbanização da região. Parte do projeto será custeado pelo BNDES.

Ainda não há data marcada para o começo dessa mudança e nem há posicionamento oficial da #prefeitura sobre o que será feito do atual terreno da Ceagesp, situado na Vila Leopoldina – zona oeste da cidade. Porém, já se sabe que, até agora, está descartada a utilização para conjuntos habitacionais. #Transporte #alimentos